Fabio Leoni / Ponte Press
Fabio Leoni / Ponte Press

Na luta para não cair, Ponte Preta vê como obrigação vencer o Grêmio em casa

Emerson Sheik e Danilo Barcelos devem voltar ao time titular da equipe campineira

Estadão Conteúdo

08 Novembro 2017 | 06h14

Quando assumiu a Ponte Preta no lugar de Gilson Kleina, o técnico Eduardo Baptista demonstrava a convicção de que para escapar do rebaixamento seria necessário vencer os jogos em casa, aproveitando o apoio da torcida. Perdeu o duelo direto com o Avaí, mas depois se recuperou ao ganhar do líder Corinthians. Nesta quarta-feira espera superar outra grande força nacional, o Grêmio - terceiro colocado com 54 pontos. O jogo começa às 19h30, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP), pela 33.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

+ Lucca, da Ponte Preta, pode parar no São Paulo em 2018

+ Renato Gaúcho poupa cinco titulares para enfrentar a Ponte Preta

Neste momento na 18.ª colocação, com 35 pontos, o time paulista tem a mesma pontuação de Vitória e Avaí, 17.º e 19.º colocados, respectivamente. A equipe campineira tem uma vitória a mais que o time catarinense e perde de -9 a -11 no saldo de gols para os baianos. Além disso, está a um ponto do Sport, primeiro fora da zona de rebaixamento, na 16.ª posição.

"Todos dentro do clube estão conscientes de que devemos vencer em casa e nos superar. Então é respeitar o adversário, mas acreditar sempre que a vitória é algo possível de ser alcançado", explicou Eduardo Baptista. Quando soube que o time gaúcho deve atuar com apenas quatro titulares, não mudou seu discurso. "Aquele jogador que entra está em busca de um espaço e, às vezes, fica mais complicado. Sabemos que teremos pela frente um time forte e precisamos estar atentos para isso", concluiu.

A torcida promete, de novo, atuar como 12.º jogador. A diretoria manteve a promoção de ingressos populares a R$ 10 e R$ 5. A expectativa é de um público em torno de oito mil torcedores. "Mas com a torcida no apoiando isso faz a diferença. Os jogadores sentem isso lá dentro de campo", disse o goleiro Aranha.

REFORÇOS

O time vai ter algumas mudanças, mesmo porque atuou bem desfalcado na derrota para o Bahia. Danilo Barcelos, improvisado como meia, volta após cumprir suspensão no lugar de Claudinho. No ataque, Emerson Sheik, que também estava suspenso, ocupa a vaga de Maranhão. Sem o lateral-direito Nino Paraíba, suspenso com três cartões amarelos, Emerson está confirmado. Ele é formado na base e, inclusive, atuou no segundo tempo da derrota em Salvador.

O volante Naldo, após cumprir suspensão automática, volta a ser opção, mas o técnico avisou que não pretende mudar a sua segunda linha que deve ter Fernando Bob, Elton, Jadson e Danilo Barcelos. "São dois bons jogadores, mas sempre procuro manter a base e quem está jogando", justificou Eduardo Baptista, dando a pista de que Naldo ficará no banco de reservas. Ao lado dele, o atacante Léo Gamalho também vira opção, totalmente liberado pelo departamento médico.

Outra baixa vai ser o atacante John Kleber, de apenas 17 anos. A promessa pontepretana estreou como profissional no segundo tempo do jogo contra o Bahia e sofreu uma entorse no joelho direito. Nesta terça-feira, o departamento médico confirmou que ele passará por cirurgia, com retorno previsto entre seis e oito meses - sofreu lesão no ligamento cruzado anterior do joelho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.