Na Ponte Preta, só vai jogar quem estiver 100%

Técnico Sérgio Guedes não garante a volta do meia Elias, que se recupera de fratura na costela

Redação,

29 de abril de 2008 | 19h15

O técnico Sérgio Guedes foi bastante claro nos critérios que vai adotar para escalar o time da Ponte Preta na decisão contra o Palmeiras, domingo à tarde, no Palestra Itália. O zagueiro César e o meia Elias, ambos machucados, só vão garantir uma camisa titular caso tenham condições de participar de um treinamento até o final de semana.Veja também: As imagens do conflito entre torcedores e polícia na fila no Palmeiras Tumulto e arquibancadas esgotadas para Palmeiras x Ponte Serviço: para quem vai ao Palmeiras x Ponte, final do Paulistão Ainda sem ingressos, Ponte define distribuição aos torcedores"Não podemos comprometer o grupo escalando jogadores sem totais condições de jogo. Vamos aguardar uma posição do departamento médico, depois a avaliação do departamento físico e só depois fazer a análise técnica", disse, de forma ponderada, o técnico ponte-pretano. E se uma definição fosse tomada, nesta terça-feira, com certeza, os dois jogadores ficariam de fora. E quem mais preocupa é o capitão César, com uma entorse no joelho esquerdo, sofrido ainda no primeiro tempo da semifinal com o Guaratinguetá, no Vale do Paraíba. Isso porque Jean, o outro titular do meio da defesa, está suspenso com três cartões amarelos.Pela situação, o reserva João Paulo já está escalado, mesmo porque já disputou o primeiro jogo na vaga de César. O seu companheiro, provavelmente, seria o volante Deda, improvisado no setor. Guedes já manifestou a sua temeridade de escalar os garotos revelados no clube - Célio Silva e Alexandre Black - num jogo de tão elevada importância. Elias fraturou uma costela na primeira semifinal contra o Guaratinguetá e tem feito um esforço incomum para estar nesta decisão. "Se depender de mim, já estou escalado", reafirmou o meia. Mas o médico Roberto Nishimura se mostra pessimista, embora admita que "em condições especiais" o jogador pode estar em campo. Se ele for vetado, o meia Giuliano deve ganhar a preferência do treinador que pretende armar o time no esquema 4-4-2. Isso implica na saída de um dos três atacantes que participaram da derrota, por 1 a 0, no domingo passado. Wanderley é o mais cotado a ir para o banco de reservas.Os jogadores voltaram ao trabalho nesta terça-feira, realizando treinos técnicos pela manhã e participando de exercícios de musculação à tarde. O ritmo, nessa semana, está sendo dosado, com treinos somente à tarde na quarta, quinta e sexta-feira. No sábado cedo acontece um tático, seguido de recreativo. Depois a delegação vai embarcar para São Paulo, onde manterá o regime de concentração. Para ser campeã pela primeira vez na história, a Ponte Preta precisa vencer o Palmeiras, por dois gols de diferença. Com o objetivo de renovar a esperança dos jogadores, o técnico Sérgio Guedes vai distribuir a todos um filme motivacional, com um inspirado e apropriado título: "Desafiando gigantes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.