Pedro Martins/MoWa Press
Pedro Martins/MoWa Press

Na seleção, Richarlison diz que superou desconfiança e celebra elogios de Ronaldo

Atacante ex-Fluminense vem se destacando no Campeonato Inglês, pelo Everton

Estadão Conteúdo

14 de novembro de 2018 | 18h02

O atacante Richarlison é um dos principais destaques brasileiros neste início de temporada do futebol europeu. Em alta com a camisa do Everton, o jogador de 21 anos aproveitou suas primeiras oportunidade pela seleção brasileira e parece ter ganhado também a confiança de Tite. Uma nova realidade para quem deixou o Brasil cedo, após uma boa passagem pelo Fluminense.

"Se você for ver, desde o América-MG venho numa evolução muito boa. Quando cheguei no Everton, muitos não acreditavam, criticavam por ser uma contratação cara. Chegaram a falar algumas besteiras. Mas nunca entrou na minha cabeça, só pensava em jogar. Então, estou provando a todos por que eu vim para o Everton, estou fazendo o melhor para mim e a equipe", declarou nesta quarta-feira.

Diante desta boa fase, Richarlison é uma das apostas de Tite para o duelo amistoso desta sexta-feira contra o Uruguai, em Londres. Depois de um início mais tímido na seleção, ele está se soltando e já mostrou em outras oportunidades seu bom humor. "Nos primeiros dias, não conhecia muito bem os que estavam convocados, mas depois fiquei mais solto. Sou muito brincalhão, costumo brincar no vestiário e procuro levar isso para o campo."

O jogador, agora, espera que sua polivalência no ataque possa lhe render mais oportunidade pela seleção, na briga por espaço com nomes como Gabriel Jesus e Roberto Firmino. "Não faço só centralizado ou pelas beiradas. Onde o professor precisar de mim para ajudar a seleção, estou à disposição."

Outro motivo de orgulho para Richarlison foram os elogios de Ronaldo, que recentemente exaltou a qualidade do atacante do Everton. O jogador não escondeu que tem o "Fenômeno" como um ídolo e revelou se inspirar no ex-atacante da seleção.

"A primeira vez que eu vi o Ronaldo, comecei a tremer. Não sei nem o que deu. Para mim, é uma honra receber elogios dele. Não posso deixar subir à cabeça, tem que manter os pés no chão. Eu me inspiro nele, não sou diferente, vejo gols dele antes de ir para os jogos. Então, ficou muito feliz", comentou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.