Na 'UTI', Ronaldo diz que decidiu parar na última quinta

A decisão de se aposentar do futebol profissional, confirmada oficialmente por Ronaldo nesta segunda-feira, um dia depois de O Estado de S. Paulo revelar a informação em primeira mão, foi tomada pelo atacante Ronaldo na última quinta. Ele fez a revelação durante a emocionada entrevista coletiva que concedeu no CT do clube, na qual admitiu que sofreu muito durante os últimos dias.

AE, Agência Estado

14 de fevereiro de 2011 | 14h23

"Essa semana (passada), depois de uma lesão no adutor (da coxa), refleti muito e decidi que esse era o momento (de parar). Eu dava o máximo de sacrifício. Quinta-feira, quando decidi, parecia que eu estava numa UTI, em estado terminal, parecia ter sido até a minha primeira morte", ressaltou o Fenômeno, que depois lamentou o fato de ter se rendido às suas limitações físicas para deixar de praticar o que mais gosta, que é jogar futebol profissionalmente.

"É muito duro abandonar algo que nos faz tão feliz. Mentalmente eu poderia seguir, mas eu tenho que assumir algumas derrotas. Eu perdi para o meu corpo. Esse é o momento. Farei outras coisas na minha vida, mas estarei sempre ligado ao Corinthians", disse Ronaldo, prometendo manter o vínculo afetivo e profissional que manteve com o clube que adotou como o do seu coração - antes de chegar ao Parque São Jorge, ele sempre se declarou flamenguista fanático.

O maior artilheiro da história das Copas dos Mundo admitiu que vem sofrendo até mesmo para realizar esforços básicos para uma pessoa comum, que não é atleta. "Sinto dor para subir uma escada e não tenho elevador na minha casa. Todos me entenderam, eu doei minha vida ao futebol, fiz coisas impensáveis. Não me arrependo, foi lindo demais, foi maravilhoso demais, foi difícil demais, lógico", disse.

O agora ex-jogador enfatizou, inclusive, que as dores que vinha sentindo nos últimos dias foram preponderantes para que ele se convencesse de que precisava antecipar a sua aposentadoria, antes marcada para o final desta temporada. "A minha família estava viajando e quinta-feira, quando eu decidi, as dores me possuíam, me consumiam. Não conseguia pensar em mais nada. Fiz um esforço de memória e 2010 foi um ano péssimo, de muitas lesões. E, começar o ano assim..., você achar que vai driblar e não conseguir fazer o que sempre fiz me motivou (a tomar a decisão). Fiquei de sexta até hoje (segunda) de manhã sozinho quebrando a cabeça", revelou.

Ronaldo também revelou que chegou a cogitar abandonar o futebol após a eliminação do Corinthians na fase preliminar da Libertadores, com a derrota por 2 a 0 para o Tolima, na Colômbia, mas rejeitou a ideia inicialmente. Porém, em seguida, foi vencido pelas dores. "Eu tive próximo de tomar essa decisão no dia seguinte da eliminação. Esperei algum tempo e tomei agora".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.