Na véspera da decisão, seleção volta a treinar pênaltis

Os jogadores da seleção brasileira voltaram a treinar cobranças de pênalti nesta segunda-feira, véspera da partida contra Gana, em Dortmund, pelas oitavas-de-final da Copa. Depois do tradicional rachão que é disputado antes das partidas, o técnico Carlos Alberto Parreira chamou os jogadores que não haviam praticado as cobranças no domingo - a maioria, reservas.Alguns que já haviam treinado no domingo, contudo, resolveram participar, como Kaká, que acertou 9 em 10 cobranças, e Ronaldinho Gaúcho, que marcou 6 gols em 7 tentativas. Juan, Zé Roberto, Gilberto Silva e Ricardinho obtiveram 100% de aproveitamento, com 3 gols em 3 cobranças. Os piores foram Lúcio, que acertou 2 de 5 tentativas, Cafu, que marcou 4 em 7, e Cicinho, que errou as três cobranças. Os três goleiros se revezaram para tentar defender as penalidades.O Brasil tem histórico positivo em decisões por pênaltis em Copas do Mundo: venceu duas disputas, na final de 1994, no Estados Unidos, contra a Itália, e quatro anos mais tarde, na França, bateu a Holanda nas semifinais; e perdeu uma série, para a França, nas quartas-de-final de 1986, no México.No rachão, o grande destaque foi o goleiro Dida, que atuou como um legítimo centroavante e marcou três gols. Ronaldinho, Roberto Carlos e Juninho também treinaram cobranças de falta. O treino foi realizado em Bergisch Gladbach porque não houve necessidade de fazer o reconhecimento do Westfalenstadion, em Dortmund, palco do duelo contra Gana - foi ali que o Brasil bateu o Japão por 4 a 1, quinta-feira, na última partida da primeira fase.O último treino da seleção antes de enfrentar os africanos teve a visita de "Maradona" - não o craque argentino, que acompanha sua seleção em todos os jogos na Alemanha, mas um humorista que se disfarça como o ex-jogador. Ele tentou provocar os brasileiros, mas não teve sucesso e acabou sendo ignorado na beira do campo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.