Antonio Pedro Santos/EFE
Antonio Pedro Santos/EFE

Na volta de Cristiano Ronaldo, Portugal bate a Argélia por 3 a 0 em amistoso

Na despedida diante da torcida antes da viagem para a Rússia, astro mostrou muita vontade desde o início da partida

Estadão Conteúdo

07 Junho 2018 | 18h31

No primeiro jogo de Cristiano Ronaldo na seleção de seu país depois da conquista da Liga dos Campeões da Europa pelo Real Madrid e no último amistoso da equipe nacional país antes da Copa do Mundo da Rússia, Portugal venceu a Argélia por 3 a 0, nesta quinta-feira, no estádio da Luz, em Lisboa.

+ Sob olhares de Tite, Inglaterra bate Costa Rica, rival do Brasil na Copa

+ Reserva do gol da França, Areola minimiza críticas a Lloris: 'Vai nos salvar'

+ Sem Del Nero, CBF quer US$ 100 milhões da Fifa por Copa de 2014

O atacante ganhou folga de uma semana e desfalcou Portugal nos últimos dois amistosos - empates contra Tunísia (2 a 2) e Bélgica (0 a 0). Na despedida diante da torcida antes da viagem para a Rússia, mostrou muita vontade desde o início da partida.

Fora da Copa do Mundo, a seleção da Argélia não ofereceu qualquer resistência aos europeus. Mesmo porque o destaque do time estava no banco de reservas: o técnico Rabah Madjer, um dos maiores jogadores da história do país, que inclusive é ídolo em Portugal. Em 1987, ele foi campeão com o Porto da Taça dos Campeões Europeus (antigo nome da Liga dos Campeões). Mas, orientando os atletas nesta quinta-feira, pouco pôde fazer.

Cristiano Ronaldo estava inspirado em seu 150.º jogo com a camisa portuguesa. No primeiro minuto, cobrou falta na barreira. Aos 5, chutou de canhota de fora da área. Aos 8, balançou as redes, mas estava em posição de impedimento.

Para sair com moral de Portugal, a equipe do técnico Fernando Santos continuou a pressão sobre os argelinos. E abriu o placar aos 17 minutos com o atacante Gonçalo Guedes, que concluiu assistência de cabeça de Bernardo Silva.

Aos 36 minutos saiu o segundo, com passe milimétrico de Cristiano Ronaldo para Bruno Fernandes fazer de cabeça. Antes do final do primeiro tempo, Bernardo Silva assustou os africanos com chute cruzado. Após o apito, o atacante do Real Madrid reclamou com o árbitro, que encerrou a primeira etapa com Portugal no ataque.

No segundo tempo, o astro português teve um duelo particular com o goleiro Abdelkader Salhi, que fez boa defesa em uma falta e praticou grande intervenção cara a cara com o atacante. Segurou Cristiano Ronaldo, mas não Gonçalo Guedes, que aos 10 minutos fez o terceiro, de cabeça. Em uma das últimas tentativas do melhor jogador do mundo, concluiu de voleio sem sucesso. Em seguida, deixou o campo ovacionado pelos torcedores, aos 29, substituído por André Silva.

Com o jogo ganho e Cristiano Ronaldo fora, Portugal tirou o pé do acelerador e trocou passes na faixa central e em seu campo defensivo. Os comandados de Fernando Santos ainda fizeram o quarto gol, com João Mário. Mas foi anulado pelo VAR (árbitro de vídeo, na sigla em inglês), que apontou toque de mão de Gonçalo Guedes no início da jogada.

 

No final da partida, aplausos dos 53 mil torcedores que lotaram o estádio da Luz para desejar boa sorte à seleção portuguesa no Mundial da Rússia.

Portugal estreia na Copa do Mundo no próximo dia 15, em São Petersburgo, no duelo ibérico contra a Espanha. Na sequência enfrenta Marrocos, no dia 20, e faz o terceiro jogo da fase inicial contra o Irã, no dia 25.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.