Eddie Keogh / Reuters
Eddie Keogh / Reuters

Na zona de rebaixamento após ser goleado, West Ham demite técnico

Slaven Bilic perdeu o emprego dois dias depois dos 4 a 1 para o Liverpool

Estadão Conteúdo

06 Novembro 2017 | 11h46

O West Ham anunciou oficialmente nesta segunda-feira a demissão do técnico Slaven Bilic, que acabou perdendo o emprego dois dias depois de o time ser goleado por 4 a 1 pelo Liverpool, em casa, e entrar na zona de rebaixamento do Campeonato Inglês, no qual agora figura na 18.ª posição, com nove pontos em 11 partidas disputadas.

+ Gabriel Jesus marca, City bate Arsenal e segue disparado na liderança

Já no último sábado, logo após a expressiva derrota com a sua equipe como mandante, o treinador croata reconheceu que "já esperava" pela sua futura demissão, que agora acabou sendo confirmada. "É um movimento muito lógico", disse, naquela ocasião.

Por meio de um comunicado, o West Ham justificou a saída de Bilic ressaltando que a mesma era necessária "para o clube avançar positivamente e em linha com sua ambição". "Infelizmente, performances e resultados não foram do padrão esperado", afirmou.

Ex-técnico do Manchester United, David Moyes vem sendo reportado pela mídia britânica como favorito a assumir o posto que era de Bilic. Substituto de Alex Ferguson após o anúncio da aposentadoria do lendário treinador, o escocês esteve à frente do United apenas na temporada 2013/2014, sem sucesso. Em seguida, dirigiu a Real Sociedad, da Espanha, no ciclo seguinte do futebol europeu e na temporada passada foi demitido pelo Sunderland após o rebaixamento da equipe para a segunda divisão do futebol da Inglaterra.

Encabeçando a zona de rebaixamento do Campeonato Inglês, o West Ham ganhou apenas dois dos 11 jogos que realizou nesta edição da competição, na qual só voltará a atuar no próximo dia 19, contra o Watford, fora de casa, após pausa forçada do calendário que agora terá amistosos internacionais de seleções e confrontos válidos pela repescagem das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

Bilic se tornou o quarto comandante a perder o seu emprego nesta edição do Campeonato Inglês. Os outros foram Frank De Boer, demitido pelo Crystal Palace, Craig Shakespeare (Leicester) e Ronald Koeman (Everton).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.