Reprodução
Reprodução

Nacional é punido após torcedores imitarem avião em jogo contra a Chapecoense

Time uruguaio é multado e condenado a jogar sem torcida nos próximos três jogos como visitante em torneios da Conmebol

Estadão Conteúdo

13 de fevereiro de 2018 | 14h30

O Nacional, do Uruguai, foi punido pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) por causa do comportamento de parte de seus torcedores durante o jogo que o time fez contra a Chapecoense, em Chapecó, pela fase preliminar da Copa Libertadores, no dia 31 de janeiro, quando seguidores da equipe foram flagrados imitando um avião na Arena Condá, zombando da tragédia aérea sofrida pelo clube brasileiro em novembro de 2016.

+ Após queda, Kleina elogia postura da Chapecoense e admite necessidade de reforços

Por meio de um comunicado, a Conmebol anunciou que aplicou uma multa de US$ 80 mil (cerca de R$ 262 mil) ao Nacional e condenou o time a disputar sem a presença dos seus torcedores as três próximas partidas como visitante em competições organizadas pela entidade que comanda o futebol da América do Sul.

O Tribunal de Disciplina da Conmebol ainda advertiu que algum episódio de natureza similar for repetido será considerado como "situação agravante", fato que poderá render a aplicação de uma punição bem mais expressiva do que esta que o Nacional acabou de receber.

O time uruguaio ganhou a partida de ida que fez contra a Chapecoense por 1 a 0 e depois repetiu o placar no confronto de volta, em Montevidéu, para avançar à terceira e última fase preliminar da Libertadores, na qual terá pela frente o Banfield, da Argentina, em mata-mata que valerá uma vaga no estágio de grupos da competição.

A Chapecoense, por sua vez, chegou a pedir pela exclusão do Nacional da Libertadores por causa do episódio envolvendo os torcedores do time uruguaio em Santa Catarina. Porém, não teve sucesso e deu adeus ao torneio continental.

O Nacional, que tem até sete dias para apresentar uma apelação contra a punição anunciada pela Conmebol, se desculpou publicamente, no início deste mês, pela atitude de parte de seus torcedores e suspendeu o registro dos sócios identificados como autores da provocação de péssimo gosto no jogo do último dia 31 de janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.