Nacional faz sucesso na Copa São Paulo

O Nacional-SP, ao lado do Iraty-PR, é uma das surpresas das semifinais da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Pudera. A modesta equipe comandada pelo técnico Paulo César Tognasini eliminou o São Paulo, um dos "sempre" favoritos à conquista do título, e agora terá o Paraná Clube pela frente na partida deste domingo, às 11h10.Com um bom aproveitamento durante toda a competição, o Nacional se mantém invicto: somou quatro vitórias e dois empates. Mas não foi fácil para o time chegar próximo à perfeição. Os garotos só tiveram dois dias de folga no fim do ano - 25 de dezembro e 1º de janeiro - no intervalo dos treinamentos."Isso tudo é apenas o resultado de um trabalho importante que estamos realizando desde o ano passado. Começamos a procurar esses jogadores em março de 2004 e, apesar de jovens (a maioria desses atletas ainda está prestes a completar 20 anos de idade), já têm um pouco de experiência. Foi com esse time que disputamos a Série A2 e também a Copa Federação Paulista de Futebol no ano passado", conta Tognasini. "Três fatores são importantes nessa caminhada da equipe, até esta Copa São Paulo: a união, a qualidade e a estrutura que tivemos para treinar."Por trás do sucesso do Nacional está a EuroExport, uma empresa de marketing esportivo que também já foi parceira do Juventus. O técnico Tognasini foi escolhido pela diretoria para comandar toda a elaboração das categorias de base do Nacional. E recebeu carta branca para ir atrás de quem quisesse."A maioria deles eu conheço desde que tinham 9, 10 anos de idade e jogavam futebol de salão. Tenho plena confiança em todos eles. E com a minha vivência no futebol e o apoio da EuroExport, através do Juliano Bertolucci (presidente da empresa), montei esta equipe", afirma Tognasini, todo orgulhoso.Antes mesmo de acabar a competição, Tognasini revela que começam a aparecer clubes interessados em tirar as jovens promessas do Nacional. "Quando os times vão chegando perto da decisão, também começam a pintar os primeiros interessados. Acho que não poderia ser diferente. Se no começo a competição tinha 88 equipes e, até agora, deixamos 84 delas para trás, significa que existe algo de muito bom em nosso trabalho. Senão, não chamaria a atenção", argumentou.Independentemente do que aconteça ao Nacional nas semifinais da Copinha, o futuro promete ser promissor para alguns jogadores. Deles, o que mais se destaca é o atacante Leandro. Não apenas pelo cabelo ao estilo "moicano", que mostrou no jogo contra o São Paulo, mas também por ser o artilheiro da equipe na competição, com seis gols - está dois atrás de Borebi, jogador do Noroeste, que já está fora do páreo. "Também destaco o Souza (meia), o Caio (meia-atacante), o Rodrigo (goleiro) e o Alex (lateral-direito)", diz o técnico.Mesmo que não conquiste o tricampeonato da Copa SP, a garotada será aproveitada entre os profissionais para a disputa, mais uma vez, da Série A2. "Quem não for aproveitado, sairá de férias. Afinal, eles não tiveram folga no fim do ano."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.