Nacional vence Matonense em dose dupla

O jogo entre Matonense x Nacional, pelo Campeonato Paulista da Série A-2, vai entrar para a história do futebol brasileiro.Acontece que antes do seu início, marcado para começar às 16 horas, estavam em campo dois times para representar a Matonense. Depois de muita confusão, o confronto começou por volta das 19 horas e o Nacional venceu por 2 a 1, chegando aos quatro pontos no Grupo 2, onde ao time de Matão não soma nenhum.Existe uma briga judicial na Matonense entre o presidente Oberdan Francisco da Silva e a empresa de marketing esportivo Futura Esportes. Ambos brigam para representar o clube e a empresa já conseguiu duas liminares contra o ex-funcionário que assumiu, de fato, o comando e armou outro time. Na primeira rodada, tinha perdido para o Guaratinguetá, por 1 a 0, e agora buscaria a reabilitação. A Futura não havia conseguido inscrever seus jogadores a tempo. Por ordem judicial e por cláusula contratual, contra o Nacional, no domingo, o time que deveria entrar em campo pela Série A-2, seria o montado pela Futura Esportes. Na última quinta-feira foram deferidas as inscrições dos jogadores através do presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, em atendimento à ordem judicial.De forma inédita, neste domingo, dentro de campo estavam dois times pela Matonense, o do presidente e o da empresa, mas na súmula do árbitro Kléber José de Melo, contava apenas com o time do presidente, que tem registros na Federação Paulista. Com isso, a polícia teve que intervir e até retirou à força o técnico Israel de Jesus e os jogadores da Futura Esportes, que resistiram e foram agredidos com cassetetes."É uma situação constrangedora. Tínhamos de um lado duas equipes em campo e de outro, outra equipe. Não tinha condições regulares de começar a partida. Quando a polícia retirou os jogadores e o técnico e tudo estava certo para o início, daí o Nacional de cidiu não entrar em campo", explicou o árbitro Kléber José de Melo, que promete relatar tudo na súmula e vai esperar a decisão da FPF.Diante da ameaça de perder cinco pontos na competição, o Nacional voltou atrás e veio entrar em campo contra a Matonense, pela segunda rodada da Série A-2 do Paulistão. O time tinha decidido não jogar mais, depois das inúmeras confusões.O árbitro nunca tinha passado por um fato parecido: "É um caso inédito no futebol. Se por exemplo houvesse falta de luz, o jogo seria realizado nesta segunda-feira. Agora cabe a Federação decidir. Vou relatar com todos os detalhes o que aconteceu", disse o árbitro.Depois de tanto confusão, o Nacional levou a melhor em campo. Abriu o placar com Rogério aos nove minutos, sofreu o empate aos 14, com Paulinho, mas garantiu a vitória por 2 a 1 aos sete minutos do segundo tempo, com Luis Henrique.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.