Nadadores brasileiros testam piscina dos Jogos de Pequim

Flávia Delaroli, Lucas Salatta, Henrique Barbosa e Nicholas Santos conferem inovações do 'Cubo de Água'

Heleni Felippe, O Estado de S. Paulo

29 de janeiro de 2008 | 19h33

Flávia Delaroli, Lucas Salatta, Henrique Barbosa e Nicholas Santos - quatro dos nove nadadores brasileiros que já possuem índice olímpico - estão em Pequim e serão os primeiros a testar a nova tecnologia dos blocos de partida da piscina do Centro Aquático Nacional (conhecido como 'Cubo de Água'), que foi inaugurado na última segunda-feira e abrigará as provas de natação da Olimpíada, em agosto. O Brasil está entre os 31 países que mandaram nadadores ao Aberto da China, competição que começa na quinta-feira e será o primeiro teste do Centro Aquático. A idéia dos organizadores da Olimpíada é aproveitar a disputa para observar o funcionamento da instalação, além da organização do torneio, dos serviços e como trabalham os voluntários. Para os nadadores, além de testar a piscina, a atração é conhecer o novo bloco de partida, que ainda não foi visto em nenhuma outra instalação do mundo. Ele é parecido com o que é utilizado na saída do atletismo, pois tem apoio para a parte de trás do pé que pode ser regulado, em cinco níveis, para a frente e para trás.  Apesar do teste na piscina de Pequim, o novo bloco de largada ainda precisa da aprovação oficial para ser utilizado na Olimpíada. A Federação Internacional de Natação (Fina) decidirá se homologará o equipamento em abril, durante o Mundial de piscina curta (25 metros), em Manchester, na Inglaterra. "É a primeira vez que se usa esse equipamento num torneio. Ele evita que o pé de trás escorregue", explicou Fernando Vanzella, técnico do nadador Thiago Pereira, atleta que tem índice olímpico, mas optou por não viajar a Pequim nesta competição por causa do seu período de treinamento. Thiago Pereira, inclusive, viaja na próxima segunda-feira para um período de oito dias de treinamento na altitude de Flagstaff, no Arizona (Estados Unidos). Na ocasião, ele disputará a primeira competição do ano: Grand Prix de Missouri, de 15 a 18 de fevereiro, onde pode duelar com o astro norte-americano Michael Phelps. Assim como Thiago Pereira, César Cielo e Kaio Márcio, outros destaques do Brasil entre os nadadores com índice olímpico, optaram por programas de preparação que não incluem o evento-teste que começa quinta-feira em Pequim. Para o técnico Fernando Vanzela, quem terá vantagem no novo equipamento de largada serão os velocistas, como Flávia Delaroli, que nada quinta-feira nas eliminatórias dos 100 metros livre, e Nicholas dos Santos, que só cai na piscina no sábado.

Tudo o que sabemos sobre:
nataçãoPequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.