Juan Ignacio Roncoroni/EFE
Juan Ignacio Roncoroni/EFE

Nández confia na vitória do Boca na final e quer fazer história no time

Meio-campista assegurou que decisão, que acontece no próximo sábado, será um jogo 'até o limite'

Estadão Conteúdo

20 de novembro de 2018 | 15h10

O uruguaio Nahitan Nández, meia do Boca Juniors, disse na terça-feira que tanto ele quanto seus colegas têm "a possibilidade de permanecer na história" do clube. Isso será possível se o time vencer o River Plate neste sábado, no Monumental de Núñez, na final da Copa Libertadores, depois do empate em 2 a 2 no primeiro jogo da grande decisão, em La Bombonera.

"Se eu disser que não tenho ansiedade, mentirei para você. São partidas únicas. Hoje, temos a possibilidade de ficar na história do Boca. Estamos convencidos de que vamos fazer isso. Quando chegar o sábado, temos que entrar e ficar com o jogo, que é o mais importante", afirmou Nández durante coletiva de imprensa após o treino pela manhã.

O meio-campista assegurou que sábado será um jogo "até o limite". "Estas partidas são ganhas no detalhe, devemos estar atentos para tudo. É uma final, vai definir algo muito importante, temos que estar à altura da tarefa, sabemos que será uma tarefa jogo duro, como foi aqui. Estamos confiantes e calmos com o nosso trabalho, e então vamos ganhar na casa do River", acrescentou.

Já o colombiano Wilmar Barrios revelou que aspira marcar a história do clube, como seus compatriotas Óscar Córdoba, Mauricio Serna e Jorge Bermúdez. "Eu imagino ser um campeão, porque é um desejo que eu tenho desde que cheguei. Um ponto que me fez ficar, era jogar a Copa, pensando no que fizeram colombianos como Córdoba, Serna ou Bermúdez, que hoje são lembrados como se fosse ontem. Isso me excita, me motiva, me faz feliz em pensar que no sábado eu tenho 90 minutos para dar tudo, para conseguir esse feito que é me tornar campeão da Libertadores", explicou.

Em um grande clássico realizado em 11 de novembro, no estádio da La Bombonera, o Boca Juniors esteve duas vezes à frente do placar, mas o River Plate foi buscar o empate por 2 a 2, no confronto de ida da final da Copa Libertadores.

O confronto de volta será no sábado, no Monumental de Núñez, onde quem vencer por qualquer vantagem ficará com o título. Na decisão, os gols marcados fora de casa não tem peso para efeito de desempate, diferentemente do que ocorre em todas as outras fases do mata-mata da Libertadores. Em caso de nova igualdade no placar, o campeão será definido nas cobranças de pênaltis.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.