reprodução/ Twitter
reprodução/ Twitter

'Não foi para ofender a Rússia', diz diretor da abertura da Copa sobre gesto de cantor

Organizador minimizou a polêmica envolvendo Robbie Williams na cerimônia inicial da Copa, na quinta

O Estado de S.Paulo

15 Junho 2018 | 15h43

Um dos diretores da cerimônia de abertura da Copa do Mundo na Rússia, Ilya Averbukh, minimizou a polêmica envolvendo o cantor Robbie Williams, principal atração musical do evento, que mostrou o dedo do meio para as câmeras durante sua apresentação.

Sampaoli diz esperar por Argentina 'decidida a provar' que ainda é uma potência

Com gol contra nos acréscimos, Irã vence Marrocos na abertura do Grupo B

Para Averbukh, segundo a Reuters e a RIA, não foi um protesto ou uma crítica ao país-sede. "Tenho certeza de que esse gesto não teve nenhuma relação com a Rússia. Williams não quis ofender o nosso país com esse gesto."

O diretor, porém, disse não ter ideia dos motivos que fizeram o cantor fazer o gesto obsceno. "Não posso imaginar o que ele quis dizer com aquele gesto. Como coreógrafo, eu não coloquei isso lá."

 

O cantor se apresentava no estádio Lujniki quando exibiu o dedo médio na transmissão oficial. Nem a Fifa, nem a equipe do cantor comentou o ato.

 

Os rumores de que poderia se tratar um protesto por divergências ideológicas com o país-sede, ou mesmo contra o presidente Vladimir Putin, surgiram nas redes sociais, mas nenhuma versão está confirmada até o momento.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.