Felipe Rau / Estadão
Felipe Rau / Estadão

'Não houve nem ameaça nem agressão', afirma Leco

Conselheiro do São Paulo registrou boletim de ocorrência contra o presidente após confusão no Morumbi

Matheus Lara e Robson Morelli, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2017 | 21h24

O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, negou as acusações do conselheiro Pedro Mauad, que registrou um boletim de ocorrência contra ele, acusando-o de tê-lo ameaçado e agredido verbalmente nos corredores do estádio do Morumbi, no último domingo.

“Não houve nem ameaça nem agressão", afirmou Leco, ao Estado. "Prova disso é a contradição entre o que afirmou (o conselheiro) por diversos meios de comunicação e o relato do boletim de ocorrência. Responderei tranquilamente”, informou o presidente.

O episódio é mais um dos desafios que a diretoria do clube encara na temporada, alguns deles provocados pela fase ruim da equipe e sua permanência na zona de rebaixamento depois de 25 rodadas do Brasileiro. 

O conselheiro Pedro Mauad relatou o que teria acontecido em seu encontro com o presidente tricolor no Morumbi após o empate com o Corinthians: “Passei pelo presidente e o cumprimentei. Fui então agredido com palavrões, xingamentos e ameaças.” Mauad não soube precisar qual filho do dirigente estava ao seu lado. Aos jornalistas, o conselheiro disse que foi empurrado por ele.

Os nervos estão à flor da pele nos corredores do Morumbi. Muito disso se deve ao fracasso da equipe na temporada. Além das eliminações em competições importantes, o São Paulo continua ameaçado de cair para a Segundo Divisão. Há muito descontentamento com a gestão do futebol, com o fiasco que foi a contratação de Rogério Ceni e a reação timida da equipe até agora com Dorival Junior.

De acordo com o conselheiro Pedro Mauad, o presidente teria se irritado com suas cobranças em relação à multa que clube pagou a Rogério em sua rescisão, no valor de R$ 5 milhões. Leco e Mauad já têm problemas no clube. Há dois meses, o conselheiro foi denunciado pelo presidente por injúria, calúnia e difamação – tudo por causa de comentários numa rede social em que Mauad insinuou que Leco e Ataíde Gil Guerreiro, ex-vice de futebol, expulso por agressão ao ex-presidente Carlos Miguel Aidar, estariam juntos em ações ilícitas. Leco não deixou barato e denunciou o conselheiro são-paulino.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo Futebol Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.