"Não me arrependo", diz Luís Fabiano

Luís Fabiano não se arrependeu de ter participado da confusão que provocou mais uma expulsão em sua carreira, quarta-feira à noite, contra o River Plate. Abatido, mas conformado, o atacante do São Paulo admitiu que, se não melhorar, vai ver os seus sonhos se frustrarem. ?Se continuar assim, não vou para a seleção, para a Copa do Mundo nem para a Europa. Vou pedir que 2004 seja um ano de menos cartões, menos confusões.? Sempre que sai da linha, o jogador, que teve infância difícil, vai aos microfones, diz que precisa mudar, mas acaba caindo no mesmo erro. Não foi capaz, até hoje, de manter bom comportamento por um longo período. Hoje, busca ajuda da psicóloga Regina Brandão, com a qual faz terapia uma vez por semana. Mas suas atitudes já provocam desconfiança em técnicos, dirigentes, empresários... Mesmo tendo disputado grandes jogos na temporada, a situação do jogador começa a ficar bem complicada. Os próprios cartolas do São Paulo, que vinham lhe dando respaldo nos últimos incidentes, mostraram grande irritação com sua expulsão diante do River Plate. Por que ele tinha de se meter na confusão? O presidente Marcelo Portugal Gouvêa, um dos mais inconformados, pensa, até, em lhe aplicar punição. Mas a cúpula tricolor ainda não chegou à conclusão de que essa poderia ser uma boa solução. Na seleção brasileira, o descrédito em relação ao são-paulino também cresce a cada dia. Nesta quinta, o técnico Carlos Alberto Parreira criticou os atos de Luís Fabiano e fez questão de afirmar que, se ele quiser seguir sendo convocado, precisará pôr a cabeça no lugar, embora continue prestigiado. ?A expectativa é de que ele cresça e mude o seu comportamento, que não está se encaixando com o de um atleta de seleção brasileira.? Em entrevista coletiva, no CT, o atacante declarou que só entrou na briga para defender seus companheiros. ?Não me arrependo. Em outras expulsões, me arrependi, assumi o erro, mas quarta-feira tive azar. Fui escolhido para ser expulso. Havia 22 jogadores brigando no campo?, desabafou. ?Por que eu sou sempre o culpado, sempre o pior, o lutador de capoeira?? Ainda no campo, após a partida, o atleta deu uma declaração polêmica à TV Globo. Comentou que preferia brigar para ajudar seus colegas a cobrar o pênalti. Depois, arrependido, mudou o discurso. ?Falei aquilo de cabeça quente, mas jamais iria preferir brigar a bater um pênalti e fazer um gol.? Por causa da expulsão, Luís Fabiano não pôde participar da decisão por pênaltis, em que o São Paulo perdeu por 4 a 2 e acabou eliminado da Sul-Americana. Ele seria o primeiro cobrador. Apesar de ter posado como bom moço, nesta quinta, Luís Fabiano, que será pai no ano que vem ? sua noiva, Juliana, está grávida ?, não promete que não será expulso em 2004. ?Pode acontecer de eu fazer uma falta e levar cartão vermelho. Daí como ficaria minha promessa?? Julgamento - O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) manteve nesta quinta-feira, por unanimidade, a suspensão de quatro jogos imposta a Luís Fabiano pela expulsão no clássico contra o Corinthians pelo Campeonato Brasileiro. Com isso, o jogador fica de fora da partida de domingo contra o Internacional, em Porto Alegre. Ele só poderá atuar na última rodada, no Morumbi, diante do Flamengo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.