'Não parece grave', minimiza Oswaldo sobre lesão de Robinho

Atacante precisou ser substituído aos 26 minutos do primeiro tempo e passará por exames para saber se poderá atuar no clássico 

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

20 de agosto de 2014 | 22h57

Robinho, com lesão muscular na coxa direita, foi substituído no Santos por Rildo aos 26 minutos do primeiro tempo. Vai passar por exame de ressonância magnética nesta quinta-feira e dificilmente terá condições para jogar contra o São Paulo, domingo às 16h, no Morumbi. Após uma jogada em velocidade pela esquerda, o atacante fez o cruzamento, caiu na grande área com a mão na coxa direita e saiu do campo no carrinho.

Ele foi atendido no campo pelo médico Maurício Zenaíde e, numa avaliação inicial, foi constatado que teria sofrido apenas um incômodo na parte posterior da coxa direita. Na coletiva depois do jogo, o treinador Oswaldo de Oliveira demonstrou otimismo em relação à recuperação a tempo do camisa 7.

"A situação do Robinho não me parece tão grave. Ele não sentiu fisgada e parece ter sido um tipo de cãibra, quando embola a musculatura posterior da coxa. Claro que a saída de um jogador que já tinha levado perigo e já tinha criado jogadas agudas nos preocupou", disse.

A perda de Robinho só não foi pior porque Rildo entrou bem no time e foi importante para a reabilitação do time, depois das derrotas diante de Internacional, Corinthians e Cruzeiro.

E a recuperação foi completa porque os gols da vitória por 2 a 0 contra o Atlético-PR, na Vila Belmiro, foram marcados por Leandro Damião e Thiago Ribeiro, que atravessavam má fase e vinham sendo contestados pelos torcedores. O último gol anotado pelo atacante de R$ 42 milhões tinha sido contra o Penapolense, dia 30 de março, pelas semifinais do Campeonato Paulista.

"É bom demais (fazer gol), mas o mais importante é vencer. De nada adiantaria fazer gol se o time não saísse com a vitória", comemorou Leandro Damião. O jogo desta quarta foi apenas o sétimo dele no Campeonato Brasileiro, em razão do longo tratamento a que submeteu para se recuperar de uma pubeíte no início do Brasileiro e durante o recesso da competição por causa da Copa e depois devido a uma torção no tornozelo esquerdo.

"Hoje (quarta), finalmente consegui fazer o meu trabalho. Agora temos de manter a pegada. Quando tivermos chances, vamos ''guardar''. No jogo de hoje tivemos várias, mas infelizmente perdemos algumas".

O gol de Damião foi marcado no último minuto do primeiro tempo, aproveitando passe de Cicinho, que recuperou uma bola perdida, e foi dedicado a Robinho e Bruno Uvini, que sofreu fratura de ossos da face e será operado em breve.

Gabriel, que volta da seleção brasileira Sub-20 nesta quinta, não tem lugar garantido no time mesmo que Robinho fique fora. "Vou pensar na situação. Além de Rildo ter ido bem, vamos aguardar para ver como Gabriel vai chegar", disse Oswaldo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.