Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

'Não podemos inventar nada', diz Oswaldo sobre estratégia

Treinador fala em 'seguir o trivial' para desbancar o Corinthians

GONÇALO JUNIOR, O Estado de S. Paulo

17 de abril de 2015 | 12h56

O técnico do Palmeiras, Oswaldo de Oliveira, já tem a receita para vencer o Corinthians pelas semifinais do Campeonato Paulista, neste domingo, na Arena Corinthians. Na opinião do treinador, não é preciso fazer nenhuma mudança drástica.

"O Corinthians é um time muito difícil de ser batido. Temos de fazer bem o que estamos fazendo até agora. Não podemos inventar nada. É seguir o trivial e fazer isso muito bem. Não tem nada especial", afirmou o treinador em entrevista coletiva no Centro de Treinamento da Barra Funda, no início da tarde desta sexta-feira.

Para Oswaldo, o Corinthians é o favorito para o clássico que define um dos finalistas do Paulistão. "O time de melhor aproveitamento no Brasil é o Corinthians. Se isso é um parâmetro para favoritismo, é inegável que o Corinthians é favorito. Vai jogar em casa. Nossa equipe está crescendo, se entrosando. Acredito que nós podemos sim fazer uma partida muito boa".

A principal aposta do treinador é na escalação de Valdivia como armador da equipe. "O Valdivia vem progredindo. Fez três jogos e gradativamente vem aumentando a participação nos jogos. Tivemos bastante tempo para treinar nesta semana e ele treinou muito bem. Estou satisfeito com a evolução para ele ser titular", afirmou Oswaldo.

Embora tenha confirmado a escalação de Valdivia, o treinador ainda tem dúvidas na lateral esquerda. Zé Roberto luta para se recuperar de uma lesão muscular na coxa direita. Se ele não atuar, o zagueiro Wellington vai jogar improvisado. "Vamos acompanhar o Zé até amanhã (sábado). Ele treinou ontem e não sentiu dor, hoje também passou bem. Amanhã vai ser uma coisa mais definitiva para ele porque vamos progredir na intensidade do que vai ser feito. Se ele não jogar, joga o Wellington", disse o treinador.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasOswaldo de Oliveira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.