Não saio por dinheiro, diz Nelsinho

Num clima, no mínimo, desconfortável o técnico Nelsinho Baptista se despediu dos jogadores da Ponte Preta, nesta terça-feira pela manhã, no estádio Moisés Lucarelli, antes de conceder uma entrevista coletiva à imprensa na qual fez questão de ressaltar que sua ida para o São Paulo foi uma escolha pessoal e que faz parte dos planos traçados para sua carreira. Ele jurou que não trocou a Ponte por causa de dinheiro. "Há pouco tempo recebi uma proposta do Japão de US$ 150 mil por mês. Não saio da Ponte por causa de dinheiro e não vou para o são Paulo ganhando tudo que estão comentando", disse Nelsinho, referindo-se ao seu novo salário no Morumbi. Na Ponte ele ganhava R$ 75 mil por mês e, no São Paulo, vai ter um aumento considerável, algo em torno de 50%.Dentro deste projeto pessoal, Nelsinho pretende passar pelo São Paulo para chegar à seleção brasileira. "É importante trabalhar num grande clube como o São Paulo",comentou. Nelsinho não escondeu sua decepção pelo impedimento de dirigir a Ponte nas semifinais da Copa do Brasil, decisão tomada pela diretoria que o próprio técnico fez questão de elogiar. "Assim como tomei uma decisão que considerei importante, acho que a diretoria também fez sua opção e tenho que respeitá-la", disse o treinador, que nesta temporada classificou o time para as semifinais do Campeonato Paulista e também da Copa do Brasil. "Seria uma chance muito boa de lutar pelo título, mas infelizmente a decisão foi tomada pela diretoria", completou.Desde que assumiu o time, em agosto, na Copa João Havelange, passando pelo Paulistão e Copa do Brasil ele comandou o time 50 vezes, com 25 vitórias, 14 empates e 11 derrotas. Nelsinho vai levar para São Paulo o seu auxiliar, Mauro Silva e ainda espera pelo fisicultor Cristiano Nunes. Em princípio, o preparador continuará no Majestoso até o final da Copa do Brasil e a diretoria promete trabalhar para que ele continue no clube. O novo técnico do São Paulo não descartou a possibilidade de levar algum jogador para o Morumbi, não escondendo a sua admiração pelo futebol do meia Piá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.