John Sibley/Reuters
John Sibley/Reuters

'Não sou anjo', diz atacante Diego Costa, do Chelsea

Brasileiro naturalizado espanhol admite estilo agressivo de jogo

Martyn Herman, REUTERS

23 de outubro de 2015 | 09h18

Muitas vezes retratado como vilão, o atacante do Chelsea Diego Costa disse que não vai mudar seu estilo agressivo de jogo para ganhar novos amigos. O brasileiro naturalizado espanhol ganhou uma má reputação por provocar confrontos com adversários desde sua chegada ao Chelsea, onde seus 20 gols ajudaram o clube a conquistar a Liga Inglesa na temporada passada.

Ele recebeu uma suspensão de três jogos após ser condenado por conduta violenta durante a vitória no mês passado contra o Arsenal, punição que, segundo o técnico do Chelsea, José Mourinho, era evidência da "caça às bruxas" contra o jogador.

Costa, que não tem marcado muitos gols nesta temporada, disse que a prioridade é ajudar seu clube, não ser o "bonzinho". "Algumas pessoas parecem pensar que futebol é como teatro, e que todos precisam ser o bonzinho", disse à BBC em entrevista que será transmitida no sábado.

"Mas acho que você se transforma quando entra em campo, você não é a mesma pessoa fora dele... Lá dentro vou lutar pelo meu time e fazer o melhor que posso", acrescentou.

"Em campo você faz de tudo para vencer, quando a partida termina vou para casa ver meus amigos e família, brinco, sou um homem normal, mas em campo não coloque asas em mim, porque não sou anjo", disse. O Chelsea teve um começo ruim na temporada e está em 12º lugar, 10 pontos atrás do líder Manchester City.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.