Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

'Não tem de abalar nada', diz Carille após novo empate do Corinthians

Depois de empatar com o Atlético-PR, equipe alvinegra ficou no 0 a 0 com o Avaí

O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2017 | 23h47

O segundo empate consecutivo do Corinthians no Campeonato Brasileiro, desta vez com o Avaí por 0 a 0, não abalou em nada o técnico Fábio Carille. Sereno, o treinador considerou o resultado normal pela dificuldade oferecida pela competição. Para ele, o desempenho da equipe alvinegra até aqui estava muito acima da média.

"Não tem de abalar nada, o campeonato será definido nas últimas rodadas. Disparamos no início, mas não vamos conseguir manter 87, 88, 89% de aproveitamento. A exigência é de vocês (jornalistas), nós trabalhamos com os pés no chão, trabalho com a média pela qual fomos campeões em 2015. A gente trabalha jogo a jogo, estamos conscientes de tudo o que está acontecendo", afirmou Carille.

"Estou muito feliz pelo nosso trabalho, porque vocês (jornalistas) criaram uma expectativa de que seríamos campeões faltando 15 rodadas. Isso é absurdo. Nossa média de pontuação está até acima da normalidade", completou.

Com o resultado, o Corinthians chegou aos 36 pontos em 15 rodadas e viu a diferença para o Grêmio cair para seis pontos. Os gaúchos somam 31 depois de superarem o Vitória por 3 a 1, nesta quarta-feira, em Salvador. Para Carille, não é apenas o time do técnico Renato Gaúcho que brigará pelo título nacional.  

"Tem muita coisa para acontecer, muita gente para chegar. Grêmio, Flamengo... Grêmio está mais próximo, mas há outras equipes que podem chegar também", afirmou.

O goleiro Cássio concordou com o treinador. "Com todo o respeito às outras equipes, em momento algum jogamos pensando nos outros. Viemos em busca da vitória, infelizmente não conseguimos. Temos de pensar jogo a jogo, passo a passo, e trabalhar forte. Criou-se uma expectativa grande, até pelos números que temos fora de casa. Às vezes não acontece, é válido sempre pontuar. Os três pontos não saíram."

Já o meia Rodriguinho, que acertou uma bola na trave nos minutos finais, o empate não foi um bom resultado. "Fica um gosto amargo, tivemos um volume muito maior, bola na trave, infelizmente não conseguimos fazer o gol da vitória", disse o jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.