Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

'Não tem muito o que lamentar', diz meia do Vasco após derrota para o Corinthians

Thiago Galhardo pede que cruzmaltino siga em frente na briga contra o rebaixamento

Estadão Conteúdo

17 de novembro de 2018 | 21h58

O Vasco bem que tentou, mas não conseguiu furar o bloqueio defensivo do Corinthians e acabou derrotado por 1 a 0, neste sábado, em São Paulo, pela 35.ª rodada do Campeonato Brasileiro. A tônica do duelo foi o nervosismo, tanto que o árbitro goiano Wilton Pereira Sampaio distribuiu quatro cartões amarelos e expulsou o técnico cruzmaltino Alberto Valentim no intervalo e os visitantes ainda pediram pênalti em três oportunidades.

Além disso, logo após o árbitro encerrar o duelo, jogadores de ambos os times se estranharam, iniciando uma pequena confusão generalizada. Na saída para os vestiários, o atacante Kelvin e o meia Marrony se recusaram a falar com a imprensa. O meio-campista Thiago Galhardo, por outro lado, analisou o confronto.

"Primeiro tempo foi deles, o segundo foi nosso. Fizeram o gol aos cinco minutos do segundo tempo. Depois, nós massacramos, tivemos bola na trave. Eles criaram no final, quando já estava nos acréscimos e nosso time estava desarrumado. Não tem muito o que lamentar, é descansar. Temos duas batalhas agora em casa. Se vencermos as duas, nos livramos do rebaixamento e vamos lutar pela Sul-Americana", disse.

O jogador do Vasco ainda foi questionado sobre o empurra-empurra dos instantes finais. Na avaliação de Thiago Galhardo, foi uma situação de jogo. "Foi o Desábato com o Fagner, que não ouviram o apito. Em um jogo quente como esse, na hora que um dá embaixo, o outro dá por cima. Normal, acho que já conversaram e pediram desculpas. Já passou, são coisas que acontecem no futebol", completou.

O Vasco agora vai enfrentar o São Paulo, no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, na próxima quinta-feira, pela 36.ª e antepenúltima rodada.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.