Napoli é a segunda força na Itália

Vitória sobre a Lazio coloca o time ao lado da Juventus no Campeonato Italiano

JT

26 de setembro de 2012 | 19h03

SÃO PAULO - Enquanto Milan, Inter e Roma não engrenam, o Napoli vai se firmando como principal adversário da Juventus na luta pelo título italiano. Nesta quarta, numa demonstração de força, fez 3 a 0 na Lazio em casa e se igualou em tudo à equipe de Turim: quatro vitórias, um empate, 11 gols marcados e dois sofridos. São três pontos de vantagem sobre a surpreendente Sampdoria, que está em terceiro lugar – e teria 11 pontos se não tivesse sido punida com a perda de um antes do início da competição.

O nome da partida foi Cavani. O atacante uruguaio marcou os três gols e ainda perdeu um pênalti – chutou por cima quando o jogo já estava 3 a 0. Ele assumiu a artilharia do campeonato com cinco (um à frente do montenegrino Jovetic, da Fiorentina) e chegou à marca de 73 em 101 partidas pelo Napoli, o que dá uma média de 0,72 por jogo.

"Depois da partida discreta que fizemos em Catania na rodada passada (empate por 0 a 0), precisávamos dessa grande atuação diante de nossa torcida. E conseguimos três pontos importantes diante de um adversário direto na luta por vaga na Copa dos Campeões", disse Cavani. Em seguida, quando lhe perguntaram se considera o Napoli a maior ameaça à Juve, ele foi cauteloso. "Não sei. O que sei é que somos uma equipe sólida que encara cada jogo como se fosse uma final."

Em Milão, o Milan finalmente venceu como mandante na temporada – tinha perdido por 1 a 0 para Atalanta e Sampdoria e empatado por 0 a 0 com o Anderlecht pela Copa dos Campeões. Com gols de El-Shaarawy, bateu o Cagliari por 2 a 0 e chegou ao décimo lugar com seis pontos. O detalhe é que o criticado técnico Massimiliano Allegri viu o jogo da tribuna porque estava suspenso. Seu auxiliar, Mauro Tassotti, orientou o time na beira do campo e depois foi para a sala de entrevistas. "Foi importante termos ganho, mas precisamos jogar melhor do que jogamos".

Ele tem razão no que disse. O Cagliari teve cinco grandes chances para marcar quando o placar mostrava apenas 1 a 0, e só não chegou ao empate por azar. Os (poucos) torcedores do Milan – apenas 28 mil foram ao estádio, que comporta 80 mil pessoas – prenderam a respiração umas três vezes vendo a bola passar lambendo a trave.

Recuperado de uma lesão muscular, Robinho começou no banco e entrou aos 20 minutos do segundo tempo no lugar do holandês Emanuelson.

INTER

A Inter ganhou fora de casa do Chievo por 2 a 0 e subiu para o quarto lugar com nove pontos. Os gols foram marcados pelo uruguaio Alvaro Pereira e pelo atacante Cassano – que já tem três no campeonato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.