Napoli perde mando de cinco jogos

O Napoli pagará caro pelo comportamento da torcida. A principal equipe do Sul da Itália foi condenada nesta quarta-feira a disputar ? fora de casa e com portões fechados ? seus próximos cinco jogos como mandante no campeonato da Série B. A punição é conseqüência dos incidentes provocados por seus fãs, no sábado, antes do clássico da Campânia com o Avellino. As brigas provocaram o adiamento da partida e tiveram como resultado a morte de um rapaz, além de mais de 40 feridos, a maioria policiais. A pena aos napolitanos foi imposta por Maurizio Laudi, presidente do tribunal esportivo da Liga Italiana, entidade que representa os interesses dos clubes profissionais. O juiz ainda pode agravar a sentença de duas formas. A primeira é a de aplicar multa pesada. A segunda, dar a vitória ao Avellino por 3 a 0, de acordo com o regulamento. O Napoli promete recorrer à Comissão de Disciplina da Federação Italiana de Futebol, mas não há previsão de que venha a se absolvido. Uma das primeiras reações partiu de Rosa Russo Jervolino, prefeita de Nápoles. Em sua avaliação, o tribunal jogou duro com o time, que não teve participação direta nos incidentes. ?Os jogadores não tiveram culpa nenhuma do que aconteceu?, lamentou a chefe do executivo local. ?Atos como esses apenas prejudicam a imagem de nossa cidade.? Não havia como o Napoli sair ileso do episódio, pois ficou evidente que as cenas de guerra no Estádio Partenio foram causadas pela torcida visitante. Napolitanos irritaram-se por não encontrar ingressos disponíveis e forçaram a entrada nas arquibancadas. No tumulto, Sergio Ercolano, de 19 anos, caiu do anel superior, sofreu traumatismo craniano e morreu na segunda-feira. Para complicar, o atendimento demorou meia hora, porque a ambulância não tinha como deixar a pista de atletismo do estádio. O campo havia sido invadido por torcedores ? a maioria do Napoli ?, que passaram a atacar também os policiais com paus, pedras e mastros de bandeiras. A sanção começa a valer sábado, na partida com o Ascoli, e termina em 9 de novembro, em duelo com a Salernitana, outra equipe com a qual o Napoli tem forte rivalidade regional. Dessa forma, só voltará a jogar no Estádio San Paolo em 18 de novembro, diante da Ternana. O Napoli viveu situação semelhante em 1955, quando teve seu campo vetado por seis rodadas, por incidentes nos 3 a 3 com o Bologna, na época pela Série A. O episódio do fim de semana foi mais uma pedra em história recente de decadência e decepções. O melhor momento do clube foi nos anos 80 e início dos 90, quando ganhou títulos com Diego Maradona e Careca. A boa fase passou, vieram rebaixamentos seguidos e escândalos administrativos, aos quais agora se junta a violência da torcida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.