Narciso tem comemoração dupla sábado

O aniversário do filho Richard, que completa quatro anos neste sábado, terá dupla comemoração para o volante Narciso, do Santos Futebol Clube. Na terça-feira, ele recebeu a notícia de que está curado da leucemia mielóide, doença que o afastou dos campos de futebol desde janeiro do ano passado, quando, em um exame de rotina, ficou sabendo do dramático diagnóstico. Naquela oportunidade, aos 26 anos, sua preocupação maior não era saber se teria ou não condições de voltar a jogar futebol, mas de recuperar plenamente a saúde e ver seu único filho crescer. Há um ano, o jogador foi submetido a um transplante de medula óssea, no Hospital de Clínicas de Curitiba (PR), onde vinha realizando tratamento no Centro de Hematologia. Foi Luiz Alberto Araújo, o Luizão, procurador do atleta, quem deu a boa notícia para o jogador, que se encontra descansando na casa de parentes, em Neópolis, cidade localizada a 200 quilômetros de Aracaju, capital de Sergipe. "Senti que ele ficou parado uns 30 segundos e, em seguida, me agradeceu muito pela informação", disse Luizão. Na semana passada, antes de seguir para Sergipe, Narciso passou por uma bateria de exames em Curitiba e que, segundo seus médicos, seriam decisivos para melhor avaliação do tratamento. Diante desse novo quadro, Narciso já anunciou ao seu procurador que pretende voltar a Santos na semana que vem, a fim de retomar suas atividades físicas. "Por enquanto, ele ainda não pode tomar sol, mas já está em condições de iniciar um trabalho de recuperação da musculatura que, naturalmente, ficou atrofiada, em razão da inatividade", revelou. O reinício das atividades físicas do volante será acompanhado de perto não só pelos médicos do Santos, mas também pelos hematologistas que administraram todo o seu tratamento, no Paraná.Histórico - Da descoberta da doença, em janeiro do ano passado, até o transplante, realizado no dia 5 de maio, o volante passou por momentos de muita tensão. Primeiro, ele enfrentou a dificuldade de aceitação do diagnóstico, para o qual não estava preparado, levando-se em conta o fato de ser um atleta. Depois, surgiu a dúvida: onde seria realizado o tratamento, inicialmente previsto para Seattle, nos Estados Unidos. Foi o próprio Narciso quem decidiu que o melhor seria recorrer aos especialistas de Curitiba. A diretoria do Santos, por outro lado, não mediu esforços para ajudar o jogador, comprometendo-se até a custear o tratamento no exterior. O contrato do atleta foi renovado por mais um ano e termina no próximo dia 31 de julho. Passada a fase mais difícil da doença, o atleta se defrontou com a dificuldade de encontrar um doador compatível para o transplante. Os seis irmãos, que moram em Sergipe, foram submetidos a exames de compatibilidade, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Os primeiros resultados não foram nada animadores, já que Neílton, Normando e Hamílton não eram compatíveis. Após uma espera angustiante, a irmã Nilda dos Santos, de 29 anos, também de Sergipe, foi a doadora. A cirurgia foi considerada um sucesso, mas Narciso enfrentou sérios problemas de rejeição no pós-operatório, fato que o obrigou a viajar às pressas para Curitiba, em setembro do ano passado. Recuperou-se bem a partir do final do ano, situação que se confirmou agora, na nova bateria de exames. "Podemos dizer que ele nasceu de novo", disse o procurador, ressaltando que, mesmo que não tenha condições de dar continuidade à carreira, já estará muito feliz pela recuperação da saúde. Dentro dos próximos cinco anos, Narciso será submetido a avaliações semestrais para avaliar seu estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.