Narciso vence um desafio atrás do outro

Primeiro foi a cura da leucemia, depois a volta ao futebol e agora sua preocupação já é a de todo atleta, com o próximo jogo. E seu retorno não tem sido fácil: na terça-feira marcou Robinho e domingo já se prepara para fazer a marcação em Romário. "O Robinho tem bastante habilidade e velocidade, é um jogador difícil de ser marcado", comentou.Já em relação a Romário, um velho conhecido nos confrontos do passado, Narciso entende que "ele está mais fácil de ser marcado no momento, mas sua qualidade a cada dia está melhorando mais; não tem mais aquele arranque, a explosão, porém sabem muito bem o que faz quando a bola chega em seu pé".Por conta desses dois atacantes, ele acha que precisa melhorar constantemente. "Sempre vamos ter dificuldade porque o atacante brasileiro tem muita qualidade". Além do desafio de marcar Robinho, ele teve de vencer outro no amistoso de terça-feira contra a seleção sub-23: o da resistência física. Atuou 60 minutos e foi substituído, já que Leão havia determinado que todos os jogadores teriam oportunidade de atuar e colocou Sílvio em seu lugar.Narciso acha que passou pelo teste, mas admitiu que ainda falta ritmo de jogo. "Essa é minha maior dificuldade", disse ele, prevendo mais problemas para domingo: "vai ser mais difícil, pois será à tarde e o tempo está muito abafado". Mas tem sua compensação: "o Santos vai jogar com o time titular, que já está entrosado e é só uma questão de se posicionar melhor". Por conta disso tudo, completou: "o professor Leão sabe que se precisar de mim pode contar".O jogador ficou muito satisfeito com o comportamento da torcida do Santos no amistoso de terça-feira, o mais aplaudido da noite. "É uma felicidade muito grande esse respeito e carinho que o torcedor tem pela minha pessoa e ele me acompanhou em toda minha recuperação, fazendo a cobrança para que eu voltasse".A atuação de Narciso no amistoso foi acompanhada pelo médico Carlos Braga, que gostou do resultado. "Ele foi bem, rendeu o esperado", disse Braga, revelando que o cansaço sentido pelo jogador foi normal pelas condições da partida. "Falta ainda ritmo de jogo ao Narciso, mas isso ele só irá adquirir jogando", comentou. O médico acompanhou Narciso em sua luta para vencer a leucemia e para voltar a jogar. "Ele é um vitorioso e está vencendo seus desafios, pois seu caso é o primeiro da literatura médica", completou, referindo-se a Narciso ser o primeiro caso de um atleta que retorna à atividade profissional depois de ter vencido a leucemia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.