Nas redes sociais, Fluminense provoca São Paulo após goleada

Página do Facebook do clube divulga imagens de um pato, um ganso, um frango e um rato em forma de brinquedo

O Estado de S. Paulo

22 de maio de 2014 | 08h33

RIO - O Fluminense não poupou brincadeiras e provocações nas redes sociais depois de golear o São Paulo por 5 a 2 em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. Logo após a partida, que ocorreu nesta quarta-feira, a página oficial do clube no Facebook fez uma publicação irônica ao final do jogo com a descrição "Mate a charada!"

Na foto aparecem quatro animais de brinquedo: um pato, um ganso, um frango e um rato. Abaixo tem uma descrição. "Não teremos legenda hoje em respeito aos bichinhos...". As duas primeiras ilustrações são brincadeiras com dois dos principais jogadores do time paulista. O frango é uma referência ao goleiro e ídolo do São Paulo, Rogério Ceni, e o rato faz alusão a Muricy Ramalho.

Quando deixou o clube em 2011, após a conquista do Brasileirão de 2010, o treinador reclamou da falta de estrutura do time das Laranjeiras. "Eu saí por uma coisa apenas: porque não tem nenhuma condição de trabalhar. Porque me prometeram que a estrutura ia melhorar, o ano mudou e nada mudou. Não melhorou nada. Não tem equipamento, os jogadores se machucam, tem até rato no vestiário."

AULA DE FUTEBOL

Já o site oficial do clube destacou que o Fluminense deu "uma aula de futebol" ao São Paulo, embora tenha enfatizado que o rival é um dos favoritos a conquistar o título do Brasileirão. Após o duelo, o técnico Cristóvão Borges comemorou o fato de a equipe carioca ter conseguido traduzir em gols a sua vocação ofensiva.

"Temos uma equipe naturalmente ofensiva, que tem jogadores muito técnicos, e procuramos fazer com que jogasse de uma maneira organizada para não correr riscos. Temos que marcar bem, pressionar o adversário e tem dado resultado", disse o treinador, para depois reforçar que também é preciso atuar com inteligência e não se lançar ao ataque de qualquer maneira nas partidas. "Eu gosto e quero que a minha equipe jogue ofensivamente. Mas claro que preciso de outras formas de atuar porque precisamos de alternativas, conforme a necessidade, termos que alternar durante os jogos", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.