Bruno Cantini/Atlético-MG
Bruno Cantini/Atlético-MG

Nathan vira desfalque, mas Atlético-MG terá Elias, Cazares e Otero

Equipe mineira enfrenta o Goiás, quarta-feira, no Independência, pelo Brasileirão

Redação, Estadão Conteúdo

04 de novembro de 2019 | 19h50

Com 36 pontos, em 13º lugar, o Atlético-MG sabe que precisa de vitórias para não se aproximar das últimas colocações. Além dessa pressão, o técnico Vagner Mancini ainda terá de fazer uma série de alterações na equipe para o jogo com o Goiás, quarta-feira, às 20 horas, no Estádio Independência. O meia Nathan foi diagnosticado com uma ruptura do músculo adutor da coxa direita e não deverá mais jogar este ano. O veterano Elias deve ficar com a vaga.

Outro que está fora é o atacante Geuvânio, expulso no empate diante do Fortaleza, sábado, no Ceará. O lateral-direito Guga, que sofreu uma pancada na cabeça, seguiu em observação, mas deve jogar na quarta-feira. Quem tem retorno garantido são Cazares, Otero e Leonardo Silva.

Apesar de ter treinador normalmente, nesta segunda-feira, o goleiro Victor deve permanecer de fora, deixando a titularidade ainda com Cleiton.

O meia-atacante Marquinhos, autor da assistência para o gol de Fábio Santos no sábado, deve ganhar mais uma oportunidade de Mancini. O jogador, de 20 anos, demonstrou ansiedade. "Tenho muito o que mostrar. Num momento tão complicado, as coisas acabam não dando certo. Como falei, isso vai virar, e o individual vai sair aos poucos. Para a gente que está na base, no momento que vier, a gente tem que tentar agarrar a oportunidade. Pode ser em momentos bons ou nos momentos difíceis. A gente tem que estar preparado, para o que der e vier."

Com apenas duas vitórias nas últimas 16 rodadas, o Atlético vive momento complicado, mas isso não tira a vontade de Marquinhos. "Fico muito feliz. As coisas estão acontecendo do jeito que eu planejava para este ano. É um jogo (contra o Goiás) que pode nos dar mais confiança para ir para o clássico (domingo contra o Cruzeiro). É um jogo muito importante, em casa, com apoio da torcida. É ir para cima, com muita vontade, com a massa em peso, poder fazer um grande jogo e sair com um bom resultado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.