Náutico bate líder Palmeiras nos Aflitos e encerra jejum

O Náutico encerrou nesta segunda-feira um jejum de seis partidas sem vitórias ao bater o Palmeiras, líder do Campeonato Brasileiro, por 3 a 0, com casa cheia nos Aflitos. O resultado atrapalha um pouco o time palmeirense, que sonhava em ampliar a vantagem na ponta. Mesmo assim, permanece com 54 pontos ao final da 29.ª rodada, cinco à frente do vice-líder São Paulo.

MILTON PAZZI JR., Agencia Estado

12 de outubro de 2009 | 18h45

Já o Náutico, apesar da boa vitória em casa, segue bastante ameaçado pela queda à Série B. O resultado positivo fez o time pernambucano ir a 29 pontos, ficando na 18.ª colocação. O Botafogo, porém, primeiro clube fora da zona de perigo, ainda tem três pontos a mais.

Os desfalques atrapalharam bastante a equipe do técnico Muricy Ramalho - foram oito ao todo, entre eles Diego Souza, Vágner Love, Edmílson, Obina e Armero. O Palmeiras jogou mal no Recife e foi dominado pelo Náutico, bastante motivado pelo apoio de seus mais de 17 mil torcedores, e também pela necessidade de vencer para seguir lutando contra o rebaixamento.

BOLA NA ÁREA - Foi com essa empolgação que, logo aos seis minutos, o Náutico conseguiu abrir o placar: Carlinhos Bala cobrou falta e levantou a bola na área, Marcos espalmou na primeira trave e a zaga palmeirense só observou o zagueiro Cláudio Luiz chutar para fazer 1 a 0.

Tentando chegar ao ataque, mas abusando dos erros e das faltas cometidas com a intenção de evitar contra-ataques do time adversário, o Palmeiras teve de aceitar a festa de Bruno Mineiro. Aos 42 minutos, ele marcou o segundo gol do Náutico. Irênio tocou para Carlinhos Bala, pela direita do ataque, que cruzou rasteiro para o atacante chutar fácil e mandar a bola na rede.

O terceiro gol, novamente de Bruno Mineiro, saiu em outra bola parada a favor do Náutico, mas esta já no início do segundo tempo. Irênio cruzou em falta da esquerda e o atacante - em suspeita de impedimento por centímetros - subiu alto e sozinho para cabecear e marcar 3 a 0.

Nem com duas mudanças seguidas - saídas de Souza e Figueroa para as entradas de Sandro Silva e Wendel - o Palmeiras conseguiu melhorar sua situação na partida. Os gols tomados em jogadas de bola parada incomodaram bastante a todos, principalmente Muricy Ramalho, que reclamou bastante à beira do campo.

PRÓXIMOS JOGOS - Ao Palmeiras, que encerra uma série de quatro jogos sem perder e cai pela quinta vez neste campeonato, resta tentar a recuperação contra o Flamengo, no próximo domingo, às 16 horas, no Palestra Itália. Já o Náutico vai a Salvador enfrentar o Vitória, mas às 18h30 do mesmo dia.

Ficha Técnica:

Náutico 3 x 0 Palmeiras

Náutico - Gledson; Vagner Silva (Marcio), Asprilla e Cláudio Luiz; Patrick, Derley, Aírton (Rudnei), Irênio (Mariano Torres) e Michel; Carlinhos Bala e Bruno Mineiro. Técnico: Geninho.

Palmeiras - Marcos; Maurício, Danilo e Marcão; Figueroa (Wendel), Souza (Sandro Silva), Jumar, Cleiton Xavier e Willians; Robert e Ortigoza. Técnico: Muricy Ramalho.

Gols - Cláudio Luiz, aos seis, e Bruno Mineiro, aos 42 minutos do primeiro tempo; Bruno Mineiro, aos 16 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Irênio, Cláudio Luiz e Bruno Mineiro (Náutico); Marcão, Figueroa, Souza e Maurício (Palmeiras).

Árbitro - Wagner Tardelli Azevedo (SC).

Renda - R$ 115.110,00.

Público - 17.027 espectadores.

Local - Estádio dos Aflitos, no Recife (PE).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.