Náutico-RR perde 4 pontos por escalação de jogadores irregulares na Série D

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) foi bonzinho com o Náutico-RR na Série D do Campeonato Brasileiro. Acusado de escalação irregular logo na estreia da competição, o clube de Roraima alegou problemas no site da entidade - assim como aconteceu com o Atlético Sorocaba na Série A2 do Campeonato Paulista -, mas acabou julgado em primeira instância e perdeu quatro pontos na quarta divisão nacional.

Estadão Conteúdo

22 de julho de 2015 | 19h57

De acordo com o que foi apurado, foram 17 jogadores irregulares em campo no empate por 1 a 1 com o Nacional-AM na primeira rodada. Havia a possibilidade de o clube perder 51 pontos no total - três para cada atleta e ainda mais um, conquistado com o resultado do jogo, mas o STJD enquadrou todos em um único caso e por isso amenizou a pena.

O caso ainda cabe recurso no Pleno do STJD, mas por enquanto o clube fica sem quatro pontos no Grupo A1 da competição, começando esta terceira rodada com menos três pontos, na lanterna. O time roraimense está ao lado de Nacional, Remo-PA, Vilhena-RO e Rio Branco-AC. Para reverter a situação, entra em campo neste domingo contra o Vilhena, fora de casa.

A infração se encaixa no artigo 214 do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva), que diz que não é permitido "incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente". Além disso, o clube terá que pagar uma multa de R$ 1,7 mil.

Adversário do Náutico na estreia, o Nacional já tinha descartado entrar com a denúncia, pois acreditava que era papel da CBF checar as irregularidades e apresentar acusação formal. O presidente do clube de Roraima, Adroir Bassorici, por outro lado, acreditava que o time roraimense pudesse reverter a situação nos tribunais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.