Negociação emperra e Palmeiras fica sem Perea

A transferência do atacante colombiano Perea do Grêmio para o Palmeiras, que era dada como certa por todas as partes envolvidas, não deve mais acontecer. Nesta terça-feira, um dia depois de o jogador ter feito exames médicos em São Paulo, um desentendimento entre as diretorias dos dois clubes fez com que o negócio fosse desfeito.

JULIANO COSTA, Agencia Estado

19 de maio de 2009 | 14h09

Perea, inclusive, já voltou para Porto Alegre. O jogador de 25 anos tinha apalavrado um contrato de quatro temporadas com o Palmeiras, sendo que a assinatura do compromisso aconteceria na tarde desta terça-feira, depois do exame cardiológico a que ele seria submetido.

O negócio foi desfeito porque o Grêmio queria que o Palmeiras perdoasse toda a dívida que possui com o clube paulista, estimada em cerca de R$ 8 milhões, referente à volta de Paulo Nunes para o Olímpico em 2000. Mas a diretoria palmeirense não concordou, já que ainda seria preciso pagar 15% do negócio ao Bordeaux, da França, ex-clube de Perea.

A proposta do Palmeiras era que apenas parte da dívida total fosse abatida e que o Grêmio arcasse com a parte que cabe ao clube francês. Aí, os diretores gremistas se revoltaram com a situação e resolveram desfazer o negócio.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasGrêmioPerea

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.