Negócios de Tevez e Mascherano podem rebaixar West Ham

Parece praga de corintiano. Carlitos Tevez e Javier Mascherano não se acertaram mais, desde que trocaram o Parque São Jorge por Londres, e têm ajudado a afundar o West Ham, que os acolheu após a fuga. Os dois argentinos surgem agora como pivôs de escândalo que pode empurrar de vez o time para a segunda divisão do Campeonato Inglês. A Liga de Futebol local estuda irregularidades na transferência e ameaça corrigi-las com desconto de pontos. O West Ham é atualmente o penúltimo colocado, com 20 pontos.A confusão surgiu porque o clube até hoje não informou de que forma incorporou Tevez e Mascherano no final de agosto, no encerramento do período de mercado para a temporada de 2006-07. A transação foi rápida e teve participação direta de Kia Joorabchian, representante da MSI no Brasil e que voltou a morar em Londres desde julho do ano passado. A Liga Inglesa suspeita que o West Ham não tem os passes dos atletas, que ainda pertenceriam à empresa que em 2004 fez parceria com o Corinthians. A situação se agravou porque a Liga divulgou nesta sexta-feira, em seu site na internet, comunicado em que deixa claras dúvidas a respeito da lisura da negociação, já que haveria uma ?terceira parte? (MSI) envolvida. ?Dessa forma, há capacidade material de outra parte influir na política do clube e na escalação da equipe?, afirma o documento. Isso não é permitido no futebol da Inglaterra.Quando Tevez e Mascherano desembarcaram em Londres, supostamente por não concordarem com as opiniões do técnico Emerson Leão, havia o interesse da MSI de comprar o West Ham. Não houve acordo e os antigos donos venderam suas ações para o milionário islandês Eggert Magnusson. O clube afirmou nesta sexta-feira que vai apresentar documentos para provar que agiu dentro da lei.Na prática, não valeu nada ter os dois reforços. Tevez começou como titular em alguns jogos, não fez nenhum gol até hoje e dias atrás jornais ingleses escreveram que iria procurar uma benzedeira para afastar a maré de azar. Mascherano teve trajetória ainda pior. Jogou poucos minutos na equipe e no começo do ano conseguiu mudar de endereço: agora defende o Liverpool.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.