Marcelo Sadio/Divulgação
Marcelo Sadio/Divulgação

Nei celebra volta ao Vasco, se emociona e pede apoio à torcida

Após 473 dias sem atuar, lateral finalmente ganhou nova chance na vitória sobre o Macaé, por 3 a 0, e agora espera ter uma sequência

Estadão Conteúdo

15 de fevereiro de 2015 | 17h45

Foram 473 dias sem atuar, até que Nei finalmente tivesse a oportunidade de voltar ao Vasco na última quinta-feira, na vitória por 3 a 0 sobre o Macaé. As vaias da torcida, tão presentes desde o início de sua trajetória no clube, em 2013, deram lugar aos aplausos. A superação e o momento marcante fizeram o jogador se emocionar e celebrar este retorno aos gramados em entrevista ao site do time carioca.

"É difícil descrever o sentimento. Só eu, minha esposa, minha família e meus amigos, que estiveram sempre do meu lado, sabemos o que passei. Não falo apenas do ano passado, o cito pelo fato de ter sido nele que não pude fazer o que mais amo, que é jogar futebol. Passava o tempo todo treinando. Sou um cara que gosto de treinar, mas treinar sozinho é complicado. Para mim o sentimento é de vitória. Prova mais uma vez que com o trabalho certo, independente das coisas que são feitas a você, que são destinadas, você consegue vencer", declarou.

Contratado em 2013 junto ao Internacional, Nei foi afastado depois do rebaixamento do Vasco, considerado um dos principais vilões do elenco. Sem nenhuma negociação concretizada, então, passou o ano de 2014 inteiro apenas treinando, à espera do surgimento de uma nova oportunidade. Quando vivia o momento mais baixo de sua carreira, ele só pensava em superar.

"Superar. Eu costumo falar que na vida tudo é desafio para você. Cabe a você escolher. Se desiste ou se supera. Eu uso e tenho a frase do Rocky tatuada no meu corpo: ''Ninguém vai bater tão forte quanto a vida''. Quando você apanha, quando você cai, tem que se levantar. Assim você vai seguir em frente. Foi mais um soco que eu tomei na vida. Caí, mas graças a Deus, a minha esposa e aos meus filhos, eu venho me levantando. Um vencedor depois de um tombo sempre volta mais forte", comentou.

Apesar de se considerar injustiçado pelo longo afastamento, Nei tem consciência de que nunca rendeu o esperado no Vasco. Até por isso, pediu apoio à torcida neste momento de retorno. "Digo obrigado a torcida. Sei que a impressão que ficou do Nei não foi boa. Só tenho que agradecer. Nesse jogo, eles me deram total respaldo e me ajudaram. Eu quero mostrar para ela que tenho condições. Eu vou fazer de tudo para ter a torcida do meu lado. Como falei, eu quero títulos. Para o Vasco ser grande, a torcida precisar estar do lado. Assim fazemos uma união muito forte e traz a força que o Vasco sempre teve."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVascoNeicampeonato Carioca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.