Nelsinho apela para o mistério quanto ao time do Corinthians

Técnico diz que pretende 'amadurecer as idéias' até domingo, para decidir quem joga contra o Grêmio

Martín Fernandez, O Estado de S. Paulo

30 de novembro de 2007 | 19h28

Tenso com a possibilidade de ver o Corinthians rebaixado, chateado com as especulações sobre seus substitutos e cheio de desfalques para enfrentar o Grêmio, o técnico Nelsinho Baptista resolveu adotar uma tática que pouco utiliza desde que assumiu o Corinthians: o mistério. Veja também: Polícia monta esquema de decisão para receber o Corinthians Pai Nílson leva caravana a cemitério para salvar Corinthians Já rebaixados, Vampeta e Felipe querem evitar novo vexame STJD nega o segundo pedido do Corinthians por Finazzi O treinador não poderá contar com os atacantes Dentinho e Finazzi (que teve o pedido de efeito suspensivo negado pelo STJD), nem com os laterais Iran e Gustavo Nery, machucados. Nenhum deles sequer viajou a Porto Alegre. Nesta sexta-feira à tarde, o Corinthians treinou no Beira-Rio, casa do Internacional, que pode salvar o time do Parque São Jorge, se vencer o Goiás no Serra Dourada. Mas a visita ao estádio colorado nada revelou: Nelsinho comandou apenas um bate-bola e teve uma longa conversa com os jogadores. "O time eu só vou avisar antes do início da partida", despistou o treinador. "Tenho muitas opções, quero amadurecer as idéias até domingo." As alternativas para o ataque são Arce, Wilson e Clodoaldo para duas vagas. Os três juntos, só durante o jogo, em caso de necessidade. O mais provável é que os dois primeiros comecem jogando. "estou muito empolgado com essa chance, estou esperando por ela faz tempo", declarou Wilson. No meio, devem jogar Moradei (que volta no lugar de Bruno Octávio), Carlos Alberto e Lulinha, com Amaral na ala-direita e Everton Ribeiro na esquerda. Embora o treinador não confirme, Fabio Ferreira, Betão e Zelão (que volta após cumprir suspensão) formarão o trio de zagueiros. Neste sábado pela manhã, novamente no Beira-Rio, o Corinthians fará um treino com as portões fechados para a imprensa. "A primeira parte vai ser fechada mesmo, para que a gente possa trabalhar com mais calma, com mais privacidade mesmo", justificou. "Será um momento nosso."Embora repita que fará mudanças no time - "tudo o que for preciso para ganhar" - o técnico não admite improvisações. "Qualquer que seja a formação adotada, nós já treinamos ou jogamos com ela", disse. Abatimento Apesar da indisfarçável apreensão dos jogadores, o técnico Nelsinho Baptista faz questão de negar que o time esteja abatido. "Não tem nada a ver com o lado psicológico", afirmou. "Claro que eles ficaram chateados depois de perderem para o Vasco, mas não tem ninguém abatido aqui." Os jogadores tentam seguir o mesmo discurso, mas não conseguem. "A gente sabe que jogar no Corinthians é pressão sempre, então temos que nos acostumar", disse o zagueiro Fábio Ferreira. O técnico do Corinthians só se irritou quando perguntado se ficaria no clube em 2008 e se ficava chateado com as especulações sobre seu substituto. "Isso você tem que perguntar para a diretoria", declarou. Nem aí para o Goiás Nelsinho e seus jogadores garantem que não vão querer saber do resultado dos jogos entre Goiás e Internacional, em Goiânia, e Vasco e Paraná, no Rio. Essas partidas podem decidir o destino do Corinthians no campeonato. "Só vou querer saber depois do jogo", diz Fábio Ferreira. A frase: "Só dependemos de nós" é a mais ouvida entre os corintianos que estão em Porto Alegre. "Acredito que Vasco e Internacional vão honrar suas camisas e jogarem como sempre jogam", diz Nelsinho. "Nós temos é que nos preocupar com o que está acontecendo aqui em Porto Alegre."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.