Nelsinho diz que Kashiwa Reysol precisa melhorar

O Kashiwa Reysol triunfou na sua estreia no Mundial de Clubes e avançou para as quartas de final, mas o técnico Nelsinho Baptista não ficou satisfeito com o rendimento da equipe. De acordo com o brasileiro, o time precisará de uma atuação bem melhor para superar o Monterrey.

AE, Agência Estado

08 de dezembro de 2011 | 14h36

No próximo domingo, o Kashiwa Reysol enfrenta o time mexicano em duelo que vale uma vaga nas semifinais do Mundial de Clubes contra o Santos. "O nosso objetivo era em primeiro lugar ganhar o jogo e conseguimos fazer isso. Desde já estamos nos preparando para o nosso próximo adversário, o Monterrey. Precisamos melhorar muito o nosso rendimento contra os mexicanos", disse.

Nelsinho lembrou que o Kashiwa Reysol teve poucos dias de preparação para o Mundial de Clubes, já que garantiu presença na competição no último fim de semana, quando foi campeão nacional.

"No último sábado vencemos o Campeonato Japonês e comemoramos um pouco esse título histórico. Por isso, tivemos apenas uma curta preparação para este torneio e não tivemos condições de mostrar o nosso rendimento normal. Sem dúvidas podemos jogar melhor, mesmo que tenhamos controlado a partida quase completamente. Erramos muitos passes e infelizmente não conseguimos concluir direito alguns contra-ataques", declarou.

AUCKLAND CITY - Derrotado pelo Kashiwa Reysol, o Auckland City deixou o Mundial de Clubes satisfeito com a sua participação. Ramon Tribulietx, técnico do vencedor da Liga dos Campeões da Oceania, avaliou que o time aprendeu muito no confronto. O treinador só lamentou que a equipe não tenha feito ao menos um gol no segundo tempo, quando pressionou o Kashiwa Reysol e desperdiçou várias oportunidades.

"Normalmente, jogamos em um campeonato amador e pudemos aprender muito jogando nesse nível internacional. Tivemos algumas dificuldades nas situações de bolas paradas, mas de resto tudo esteve bastante sob controle. No segundo tempo, arriscamos mais, mas infelizmente não fomos recompensados com um gol", comentou Tribulietx.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.