Nelsinho festeja a conquista da Ponte

O mais entusiasmado nos vestiários da Ponte Preta, em Americana, após a vitória sobre o Rio Branco, por 2 a 1, era o técnico Nelsinho Baptista, que fez questão de lembrar que seu time sempre buscou o primeiro lugar na fase de classificação do Campeonato Paulista."Durante a semana falaram muitas bobagens, dizendo que nós iríamos fazer jogo de compadres. Não existe isso no futebol.Viemos para Americana e, no segundo tempo, atuamos com até três atacantes. O primeiro lugar é o mais justo para um time que sempre lutou para atingir seu objetivo", desabafou o técnico.No segundo tempo, Nelsinho tirou o lateral direito Gláucio e colocou o atacante Régis. Neste momento, o time cresceu e conseguiu consolidar a vitória. O diretor de futebol, Marco Antonio Eberlim, já pensava nas semifinais e garantia que o time vai atuar em casa nas últimas fases. "Temos este direito. Vamos jogar as semifinais em casa e, se tudo der certo, na final contra o Corinthians ou Santos", garantiu.Entre os jogadores, o mais assediado era Washington, que marcou dois gols e se isolou na artilharia do Paulistão, agora com 14 gols, dois a mais que o zagueiro Andrei, do União de Araras. "Não jogo sozinho. Os méritos são de todos", disse o atacante, que durante a semana recebeu muitas críticas do técnico Nelsinho. Os jogadores ganharam folga até terça-feira cedo, quando iniciam o treinamento para os jogos contra o Botafogo, quarto colocado.Mais de mil torcedores foram até Americana para acompanhar o time. A festa acabou no centro de Campinas, por um motivo duplo. Além do primeiro lugar na tabela, o Guarani, seu maior rival, está rebaixado para a segunda divisão. Muitos rojões espocaram pela cidade e um grupo de torcedores, vindo de Americana, terminou a comemoração no Largo do Rosário, palco de grandes comemorações, com o enterro simbólico do rival.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.