Nelsinho oculta escalação da Ponte

Muito confiante na classificação à final do Campeonato Paulista 2001, o técnico Nelsinho Baptista e os jogadores da Ponte Preta garantem que não vão dar moleza para o Botafogo, domingo, às 16h, na primeira partida da semifinal do Campeonato Paulista, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, a começar pela escalação do time que só vai ser revelada momentos antes do jogo. "É uma decisão minha. Existem algumas possibilidades táticas e me reservo ao direito de não revelar, mesmo porque o adversário está atento a qualquer movimento nosso", justificou. O treinador enfrenta vários problemas, com desfalques e muitos jogadores pendurados por cartões amarelos e, a partir deste ponto, ele pensa em escalar o time para a primeira semifinal e preparar os jogadores que poderão ser chamados nas próximas rodadas."Com tanta gente na berlinda, nós vamos usar todo mundo. Então, prefiro já ir testando várias fórmulas", explicou o técnico que tem montado times diferentes nos treinamentos da semana. Na lateral-esquerda, por exemplo, ele testou Luciano, Clodoaldo e Wagner, embora apenas um deles tenha a chance de ocupar a vaga deixada por Elivélton, suspenso com dois cartões.No meio-campo, outra situação semelhante: a ausência de Piá será suprida por Marco Aurélio ou por Adrianinho, considerados dois reservas de luxo. No ataque, o oportunista Macedo ainda é titular mas tem se revezado com o gaúcho Delmer, que tem demonstrado muita mobilidade em campo. Mas a principal dúvida do técnico está mesmo no gol, onde Adriano e Lauro estão brigando pela vaga de Alexandre, expulso contra o Rio Branco, na última rodada classificatória.Ao todo, são 12 jogadores pendurados com um cartão: os titulares Alexandre, Mineiro, Dionísio, Macedo e Washington; e os reservas Adriano, Luciano, Clodoaldo, Adrianinho, Marco Aurélio, Delmer e Giuliano. Apesar de tantos pendurados, a diretoria confirmou que não pretende antecipar o julgamento do meia Piá, expulso contra o Rio Branco. Esta foi a segunda vez que ele foi expulso, devendo cumprir dois jogos de suspensão como prevê o regulamento. O departamento jurídico do clube só está trabalhando para evitar uma punição maior no Tribunal de Justiça da Federação Paulista, que tiraria o meia também das finais do Campeonato Paulista, caso a Ponte passe pelo Botafogo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.