Nelsinho põe o São Paulo no ataque

Atacando o tempo todo. É assim que o São Paulo pretende reverter a vantagem do Flamengo na decisão da Copa dos Campeões, nesta quarta-feira, às 21h45, no estádio Rei Pelé, em Maceió. Como perdeu por 5 a 3 no primeiro jogo da final, a equipe paulista precisa vencer por pelo menos dois gols de diferença para forçar a decisão nos pênaltis. Se ganhar por três ou mais gols, será campeão no tempo normal. Ao time carioca basta um empate e até mesmo uma derrota lhe favorece.O time que for campeão nesta quarta-feira garante a participação na Copa Libertadores da América de 2002. O São Paulo não disputa a competição sul-americana desde 1994, enquanto o Flamengo está há oito anos fora do torneio.Apesar da dificuldade enfrentada pelo São Paulo, o técnico Nelsinho Baptista acredita que tirar esta vantagem é uma missão possível. Principalmente, com a formação titular que ele promete escalar: com o meia-atacante Kaká no lugar do volante Douglas, suspenso com três cartões amarelos. Outra mudança confirmada pelo treinador é a volta do meia Carlos Miguel, que recupera a posição perdida e deixa Souza na reserva. Na zaga, Rogério Pinheiro foi mantido no lugar de Wilson."É claro que temos de ser ofensivos, mas com determinação e um futebol compacto para não dar espaço ao adversário", explicou o treinador são-paulino. No último treino, esta tarde, Nelsinho ensaiou cruzamentos para a área, mostrando que pensa em usar com freqüência a arma que deu certo no primeiro jogo - dos três gols do São Paulo na derrota por 5 a 3, dois foram resultados de jogadas aéreas.Além da obrigação de fazer os gols, o São Paulo sabe que não pode dar espaço para os atacantes do Flamengo: Edílson, Petkovic, Beto e Reinaldo. "Temos de nos desdobrar em campo", avaliou Nelsinho.O atacante Luís Fabiano, uma das principais esperanças de gol do São Paulo, deseja que a sua equipe marque um gol logo no começo da partida. "Fazendo 1 a 0 de cara, o Flamengo pode sentir e mudar seu jogo", acredita o jogador. "Com a desvantagem no resultado, eles devem ter outro comportamento." O jovem Kaká tem a responsabilidade de dar nova força ofensiva ao time paulista. Ele estava ameaçado de ficar fora da partida, por causa de uma pancada sofrida no jogo anterior, mas ficou sob tratamento intensivo e se recuperou bem. Chegou até a ser submetido a exames de radiografia, mas nada de grave foi constatado. Por isso, na tarde desta terça-feira, o jogador foi liberado para treinar e confirmado no jogo.Otimismo é o que não falta a Kaká, herói do São Paulo na conquista do Torneio Rio-São Paulo, quando marcou os gols da equipe na vitória por 2 a 1, contra o Botafogo, na decisão do título. "Se eu marquei naquele jogo, posso repetir contra o Flamengo", torce o jogador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.