Nelsinho quer evitar final desejada por todos no Mundial de Clubes

Técnico do Kashiwa Reysol planeja estratégia para derrotar o Santos na semifinal de quarta-feira

AE, Agência Estado

11 de dezembro de 2011 | 13h15

TOYOTA - O técnico Nelsinho Baptista reconheceu que todos querem ver Barcelona e Santos decidindo o Mundial de Clubes, que está sendo realizado no Japão, mas prometeu que o Kashiwa Reysol tentará evitar a disputa desta final. No quarta-feira, o atual campeão japonês vai enfrentar o Santos pelas semifinais do torneio e o treinador brasileiro garante já estar pensando em uma estratégia para superar a equipe de Neymar.

"Todos esperam que esse torneio termine com uma final entre Barcelona e Santos. Obviamente, o Santos é o favorito contra nós, já que possui uma equipe forte com grandes talentos individuais, mas também temos chance nesse confronto. Desde já, vamos começar a planejar uma tática para esse jogo", disse.

Neste domingo, o Kashiwa Reysol avançou para as semifinais do Mundial ao vencer o Monterrey por 4 a 3 na disputa de pênaltis, após empate por 1 a 1. Para Nelsinho, o duelo foi equilibrado, mas o time japonês mereceu se classificar.

"No começo da partida tivemos alguns pequenos problemas. No segundo tempo, conseguimos nos reorganizar e mudamos um pouco a nossa tática. Depois conseguimos pressionar mais. Ficamos mais seguros na defesa e sempre fomos perigosos no contra-ataque. Na disputa dos pênaltis é preciso ter um pouco de sorte, mas acredito que merecemos ganhar", disse.

MONTERREY - O Monterrey se classificou para o Mundial de Clubes ao faturar o título da Liga dos Campeões da Concacaf, mas decepcionou neste domingo ao ser eliminado precocemente do torneio. Apesar disso, o técnico Victor Vucetich prometeu que o time vai levar a sério a disputa do quinto lugar contra o Espérance.

"As duas equipes atuaram mais ou menos no mesmo nível durante toda a partida. No primeiro tempo, jogamos de forma mais agressiva, mas infelizmente não marcamos gols. As cobranças por pênaltis são um pouco uma questão de sorte. O Kashiwa fez um bom jogo. Para nós, é uma experiência valiosa disputar este torneio. Vamos entrar em campo com profissionalismo para a disputa da quinta colocação".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.