Nem Renê sabe como a Lusa irá jogar

O time da Portuguesa para o clássico contra o Santos é uma incógnita até mesmo para o técnico Renê Simões. O treinador não esconde que a perda de vários titulares, em especial os do ataque, afetou profundamente a equipe, que terá mudanças em todos os setores. "Vamos entrar em campo como se fosse a primeira partida da temporada. Treinamos com o objetivo de montar a melhor equipe, mas não é possível prever como ela vai se comportar", admitiu.No ataque, Lúcio, Cléber e até o reserva imediato, Edson Araújo, estão suspensos. Durante a semana, o técnico testou a dupla Alex Afonso e Zé Roberto, mas o time ficou frágil defensivamente. Por isso, a contragosto, Renê deslocou Hernani do meio-de-campo para o ataque para atuar com Zé Roberto.Com a mudança, Renê avançou Marquinhos, que estava jogando como volante. A vaga aberta foi preenchida por Souza. Seu companheiro na marcação do meio-de-campo seria Sandro Fonseca, mas ele sofreu uma contusão na coxa esquerda na quinta-feira e hoje, o médico Rogério Nesso confirmou que não tem condições de jogo. Ricardo Lopes será o titular.A defesa também mudou. Os zagueiros Tinho e Vinícius permanecem, mas na lateral esquerda, Paulo Fabrício, que cumpriu suspensão, volta ao time no lugar de Rochinha. Do outro lado, Mancini, suspenso, deixa a vaga para Márcio Goiano.Durante a semana, Renê reclamou sistematicamente da política adotada pelos árbitros na distribuição de cartões, que culminou na suspensão de seus principais jogadores. "Tiraram todas as minhas metralhadoras AR-15 e me deixaram com um revólver calibre 22", comparou. Sua esperança é de que o time consiga superar a falta de entrosamento e surpreender o adversário, que conta com a boa fase do meia Robert.As mudanças animaram Marquinhos, que, pela primeira vez no Paulista, vai jogar em sua posição original. "Vou poder ficar mais à vontade, perto do gol", comemorou. Souza lamentou as muitas mudanças no time, mas quer aproveitar a oportunidade para ser titular. "Se não fosse assim, melhor ficar em casa." Os problemas não tiram o otimismo de Irênio. "Apesar de tudo, vamos lutar para conseguir os três pontos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.