Marcio Fernandes/Estadao
Marcio Fernandes/Estadao

'Nem todos estão comprometidos no São Paulo', diz Leco

Presidente fala em 'reformulação', mas exige mudança de postura após derrota para o Corinthians por 6 a 1 em Itaquera

CIRO CAMPOS, O Estado de S.Paulo

23 Novembro 2015 | 17h23

O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, convocou uma entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira no estádio do Morumbi para tentar explicar o novo vexame do time na temporada. Na dia seguinte à goleada sofrida por 6 a 1 diante do Corinthians o dirigente prometeu realizar depois do Campeonato Brasileiro uma reformulação no elenco e disse que nem todos os jogadores estão comprometidos.

Faltam duas partidas para a equipe terminar o ano e ao fim desse calendário, o presidente prometeu que terá mudanças. "Vamos pensar em uma reformulação do elenco, sem dúvida nenhuma. Se exige uma atitude de comprometimento que não se está vendo em todos os jogadores", comentou o dirigente. "Imagino que isso não seja fruto de desinteresse, mas de estupefação por não lidar com interesse e marcas maiores", completou.

Leco disse que para 2016 o time precisa de uma mudança de atitude. Segundo o presidente, alguns jogadores encaram as derrotas com naturalidade e sem demonstrar incômodo pelos resultados negativos em clássicos, como nesta temporada. Em 14 clássicos foram nove derrotas e 31 gols sofridos. "Se perder, tem que sofrer, mas de sentimento, por não gostar de derrota. É isso que não pretendemos do nosso São Paulo".

O presidente minimizou o coro da torcida pela contratação do zagueiro Diego Lugano, ídolo da torcida pelos títulos conquistados em 2005. Para Leco, os pedidos pelo retorno dele são mais pelo significado de valentia e entrega do jogador do que pela inclusão dele no time. Atualmente o jogador está no Cerro Porteño, do Paraguai, mas negociou com o São Paulo meses atrás.

Leco descartou realizar mudanças bruscas em breve e vai esperar o fim da temporada para fazer alterações no clube. As mudanças podem incluir também membros da diretoria. O vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, tem sido criticado pela torcida, mas apesar de receber elogios do mandatário, não teve a permanência garantida para depois do término do Brasileiro. "O clube está acima. Se achar qualquer solução sobre o Ataíde ou qualquer outro, teremos oportunidade de agir, mas não agora. Só depois do campeonato".

O clube pretende anunciar o técnico para a próxima temporada até o fim desta semana. "Queremos um técnico moderno, com uma visão moderna do futebol. Será um treinador com capacidade de comando do grupo", afirmou Leco, sem citar possíveis nomes de novos comandantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.