Rubens Chiri / São Paulo
Rubens Chiri / São Paulo

Nenê luta contra maior seca de gols pelo São Paulo no Brasileirão

Vice-artilheiro do time na competição, camisa 10 marcou apenas uma vez no returno e vem de seis jogos em branco

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

05 Outubro 2018 | 05h00

Líder técnico do São Paulo e vice-artilheiro da equipe no Campeonato Brasileiro, com oito gols, o meia Nenê tem mais um motivo para desejar vencer o Palmeiras neste sábado, às 18h, no Morumbi: além de ajudar sua equipe ultrapassar o rival na tabela, ele tenta desencantar após seis jogos sem marcar gols. Se passar em branco no Choque-Rei, será seu maior jejum até agora no torneio deste ano.

O último gol do camisa 10 aconteceu logo na primeira partida do returno, no empate em 1 a 1 com o Paraná, em Curitiba. Depois disso, o jogador não conseguiu balançar as redes de Ceará, Atlético-MG, Bahia, Santos, América-MG e Botafogo. Exceção ao último duelo, quando foi substituído aos 37 da etapa final, Nenê esteve em campo durante o tempo todo das partidas.

Tamanho jejum, o meia só experimentou nas primeiras seis rodadas do Brasileirão, já que os dois primeiros gols vieram apenas na sétima, na vitória por 3 a 1 sobre o América-MG, em Belo Horizonte. A partir dali, ele iniciou uma espécie de "duelo" particular com Diego Souza pelo posto de artilheiro são-paulino no torneio. Hoje, o companheiro tem dois de vantagem (10).

Apesar de seguir como uma das principais peças da equipe, seus gols têm feito falta ao São Paulo, que deve muito da oscilação no returno à queda no desempenho ofensivo. Até agora, foram apenas sete gols em oito partidas. Algo que precisa mudar para o Choque-Rei deste sábado.

"Temos de vencer esse jogo. Tivemos vários resultados que não queríamos nos últimos jogos, agora a torcida vai nos apoiar, vamos jogar em casa. Não podemos perder pontos, ainda mais num confronto direto como esse", disse Nenê, ao site oficial do clube.

Terceiro colocado do Brasileiro, com 52 pontos, o São Paulo se encontra a um de distância para o Palmeiras, que lidera, seguido pelo Internacional, dono da mesma pontuação, mas em inferioridade na tabela por conta do saldo de gols.

"Ganhar um clássico nos ajuda bastante na sequência do campeonato, nos dará ainda mais motivação e nos deixará melhor na tabela em busca do título", analisou o camisa 10.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.