Rubens Chiri/São Paulo FC
Rubens Chiri/São Paulo FC

Nenê minimiza polêmicas e pressão para 2ª partida da semi: 'Manteremos a postura'

Após vitória tricolor por 1 a 0 no Morumbi, São Paulo e Corinthians voltam a se enfrentar em Itaquera na quarta

O Estado de S.Paulo

26 de março de 2018 | 13h30

Autor do gol tricolor na vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians no domingo, pela 1ª partida da semifinal do Campeonato Paulista, o meia Nenê, do São Paulo, minimizou nesta segunda as polêmicas do clássico. A partida de volta acontece na quarta, às 21h45 na arena em Itaquera.

Aguirre já vê mudanças no São Paulo: 'Mentalidade vencedora'

Depois de marcar, o jogador comemorou o gol em frente ao técnico corintiano Fábio Carillle, irritando os reservas da equipe adversária. Além disso, o treinador alvinegro disse na coletiva pós-jogo que o comandante são-paulino, Diego Aguirre, foi mau educado por não tê-lo cumprimentado antes da partida.

"Clássico é assim. Mas faz parte. O que aconteceu ontem foi conversado. Não houve desrespeito de nenhuma parte. São coisas que acontecem", disse o jogador, em coletiva no CT da Barra Funda. "Na comemoração, até olhei para ele, mas não disse nada. Não tive intenção de incitar nada. É normal. Pressão sempre vai ter. Jogo lá e no nosso estádio. Faz parte."

Nenê contou detalhes da conversa que teve com o árbitro Raphael Claus no intervalo do jogo, que percebeu o clima esquentando na partida. "Sabemos o que é certo e errado. Somos seres humanos. Mas às vezes, erramos. Mas temos de tentar dar o exemplo dentro e fora de campo, tanto que o árbitro veio conversar conosco ontem, para não deixar a rivalidade ultrapassar esse respeito dentro e fora de campo."

O meia afirmou que o São Paulo buscará vitória fora de casa, quando terá a vantagem do empate. "Temos de manter a postura, mesmo fora de casa. Sabemos como é difícil, mas vai definir nos detalhes. Temos de estar concentrados o tempo inteiro dentro de campo e esquecer o resto. É lutar do começo ao fim para conseguir essa classificação."

Para Nenê, o time deve esquecer a vantagem para não arriscar a vaga na final frente aos corintianos, que vêm eliminando o São Paulo de disputas de mata-mata desde 2000.

"É uma vantagem, não muito grande. É como se fosse o primeiro tempo, agora é o segundo. Temos que tentar não levar gol e não deixar pressionar. Vai ter pressão. Não sei o Aguirre, mas acho que vai querer que a gente continue da mesma forma nesse jogo. É importante não tomar gol. Acredito que a gente possa tentar fazer um gol e aí realmente encaminhar a classificação. A chave é estar focado, não deixar crescerem no jogo e não tomar gol."

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo Futebol Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.