Nenhum caso de doping foi registrado até o momento na Copa

Faltam apenas duas partidas para acabar a Copa do Mundo, mas a Fifa já tem muito o que comemorar. Nos 62 confrontos disputados até o momento no Mundial da Alemanha, não foi detectado nenhum caso de doping nos controles de urina e EPO realizados nos jogadores logo após os jogos. "É um privilégio anunciar que, até a partida número 62, todas as mostras foram negativas. Depois de cada jogo, dois jogadores passam pelas provas de urina e controles de EPO. Temos que destacar que, em todos os casos, a colaboração foi excelente", disse Jiri Dvorak, chefe-médico da Fifa, em entrevista coletiva neste sábado. O médico afirmou que a Fifa descartou os testes sanguíneos, já que não há evidências para detectar casos de doping. "Na Copa da Coréia do Sul e Japão, em 2002, e nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, fizemos testes sanguíneos, mas existem evidências científicas que demonstram que não nos oferecem provas da presença de substâncias proibidas e, assim, não queríamos colocar mais pressão nos jogadores", comentou.

Agencia Estado,

08 Julho 2006 | 08h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.