Neto: muito arroz e galinha no Vietnã

Os torcedores do Corinthians que foram ao Pacaembu na noite de quarta-feira para ver a apresentação das suas contratações milionárias - Tévez, Sebá e Carlos Alberto - na partida contra o Mogi Mirim, se surpreenderam com Neto, atacante que marcou os dois gols do time do interior na vitória por 2 a 1. Acostumado com situações diferentes, o homem que detonou o Corinthians em pleno Pacaembu, apesar de ter apenas 22 anos, já jogou no futebol do Vietnã, palco de guerra nas décadas de 60 e 70.Em sua passagem pelo país de cultura peculiar, ele atuou pelo Bing Din, clube de cidade praiana, onde diz ter se adaptado muito bem quando o assunto era futebol. Já em outros quesitos, a adaptação não foi a mesma. "Lá eu passei quatro meses comendo só arroz e galinha. Até me sentia mal vendo os outros comendo barata e carne de cachorro", conta, explicando que as iguarias fazem parte da culinária local.Em sua posição, Neto revelou ter muitos ídolos espalhados pelo mundo, mas o que mais lhe inspirou foi o campineiro Luís Fabiano, que sob sua análise tem um futebol muito parecido com o seu. "Dele só não tenho o estilo bad boy. Já até tive minha fase assim, mas hoje em dia sou bem mais sossegado". Na partida de abertura do Paulista, o jogador revelou que, em se tratando da grandeza do Corinthians, teve uma motivação a mais para entrar em campo.Nascido em Ituaçu, na Bahia, Neto se considera um centroavante com mobilidade fácil e faro para o gol, além de contar com uma boa estatura, 1,86m. Acostumado a ser artilheiro nos times onde passou, sua principal glória foi ter anotado 17 gols no Campeonato Paulista de Juniores, em 2002, tendo atuado em apenas 14 partidas com a camisa do Mirassol. Depois disso fez testes no Cruzeiro-MG, onde não foi aprovado.Percalços - A segunda chance do atacante em um time de ponta foi dada no início de 2004, quando disputou o Campeonato Gaúcho emprestado ao Internacional. Após o torneio, recebeu a proposta do futebol vietnamita e aceitou pelo fato de que iria receber quase 15 vezes o salário que recebia no Mirassol. Depois dos gols contra o Corinthians, ele admitiu ter tido um "dia seguinte" excepcional em sua vida. Apesar de ter a cabeça no lugar e saber das dificuldades e dos percalços do futebol, o jogador, que é vascaíno de nascença, sonha em vestir a camisa de um grande clube de São Paulo. Perguntado sobre qual seria sua preferência, não titubeou: "Depois de ontem, poderia até ser o Corinthians".O herói Neto, curiosamente, não deixou de agradecer o técnico Tite, pela sua atuação. "Agradeço muito ele, que trabalhou comigo no São Caetano. Ele me deu vários toques e fui feliz jogando contra o Corinthians", disse Neto, que disputou a Copa Federação Paulista pelo Mirassol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.