Neto rejeita 'soberba', mas vê Santos confiante

Dono da melhor campanha da fase de grupos do Paulistão, o Santos chega como favorito na fase final. Mas, para transformar esse favoritismo em título, a equipe precisa corresponder em campo. Nesta segunda-feira, o zagueiro Neto confirmou que a o time alvinegro está confiante, mas negou qualquer tipo de soberba contra a Ponte Preta, quarta, na Vila, pelas quartas de final.

SANCHES FILHO, Agência Estado

24 de março de 2014 | 19h13

"Não adianta falar que se jogar bem vai classificar. Já vi grandes equipes jogarem bem e serem derrotadas, porque são 90 minutos. Tem que aproveitar as oportunidades. O mais importante na partida é o resultado. Estamos confiantes, mas não tem soberba, (clima de) ''já ganhou''. Vamos lutar com unhas e dentes para sairmos classificados", garantiu o defensor.

Para ele, a vitória no clássico contra o Palmeiras, por 2 a 1, domingo à tarde, na Vila, pela última rodada da fase de classificação, aumentou a moral da equipe. Até porque, com o resultado, o Santos passou a ter a melhor campanha, posto que até então pertencia ao rival.

"A vitória dá confiança, porque pegamos uma grande equipe, que era líder do campeonato. Ganhar clássico é sempre bom, mas não pode ser parâmetro para quarta, achar que já ganhou. Vimos Ponte x Palmeiras e a dificuldade que o Palmeiras teve", comentou Neto, citando a vitória por 3 a 2 do Palmeiras, na penúltima rodada, graças a um gol aos 43 minutos do segundo tempo.

Ainda falando sobre a Ponte Preta, previu um jogo difícil. "Será uma partida mais ou menos igual à do Palmeiras. A Ponte tem uma equipe qualificada. O Adrianinho é bom jogador, eles têm uma defesa boa. No Paulistão, vem dando trabalho. Esperamos um jogo extremamente difícil. O Vadão é um grande treinador, foi meu treinador no Paulista de Jundiaí. Quem errar menos, vai sair vitorioso."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCPaulistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.