Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Ney Franco faz segredo e prefere esconder a formação do São Paulo

Técnico não revela se time vai mudar o esquema tático para enfrentar o Arsenal, fora de casa

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

13 de março de 2013 | 08h12

SÃO PAULO - O São Paulo viaja nesta quarta-feira para a Argentina envolto em muito mistério. O técnico Ney Franco optou por fazer todos os treinamentos fechados antes da partida contra o Arsenal, amanhã, e não quis entregar a formação que o time usará fora de casa pela Libertadores. Sem poder contar com Luis Fabiano e Wellington, ambos suspensos, o treinador prefere não revelar se usará três atacantes ou dois meias (Jadson e Ganso). Os jogadores também concordaram em não dar mais detalhes. “Sobre a formação da nossa equipe, não posso falar muito, senão o treinador fica bravo comigo”, avisa Jadson.

Ele sabe que Ney Franco está pressionado, nem tanto pelos resultados recentes – o São Paulo não perde há sete partidas –, mas porque está numa situação pouco confortável na competição sul-americana após ter perdido um jogo, empatado outro e vencido apenas um. Para piorar, o vice-presidente de futebol João Paulo de Jesus Lopes criticou o desempenho na única vitória na Libertadores. “Claro que no futebol o que pesa são os resultados. Mas foi só empatar dois jogos que começaram a falar que não estamos bem. Acho que nosso time não está tão mal como estão falando”, complementa Jadson.

Para o zagueiro Rafael Toloi, o trabalho de Ney Franco à frente da equipe não pode ser contestado. O defensor sabe que o time precisa melhorar defensivamente, mas dá apoio ao técnico. “O Ney é um excelente treinador e tem total confiança do grupo. Acho que ele vai montar bem o time para a gente chegar à vitória”, diz, dando a entender que o São Paulo treinou bastante uma jogada mortal do Arsenal. “Estamos trabalhando a bola aérea e a equipe está tranquila.”

Retorno

O volante Denilson ficou fora das duas últimas partidas, por causa de dores no joelho. Está recuperado e vai viajar com o grupo para a Argentina. Ele deve voltar ao time titular no meio e atuará junto com Jadson. No ataque, Osvaldo e Aloísio também estão confirmados. Resta saber se Ney Franco optará por três atacantes (entraria Ademilson, Douglas, Cañete ou Wallyson) ou quatro jogadores no meio (Fabrício, Maicon e Ganso brigam por duas vagas neste caso). Outra dúvida é na lateral direita. O volante Rodrigo Caio atuou improvisado no setor contra o Palmeiras e foi bem, recebendo elogios do chefe. Pode ser mantido na função, ganhando a disputa com Douglas.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCCopa Libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.