Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Ney Franco treina posicionamento e bola parada para surpreender Atlético-MG

Treinador também define time com Douglas por entender que ele tem características mais parecidas com as de Lucas

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

11 de fevereiro de 2013 | 18h03

SÃO PAULO - O técnico Ney Franco está usando os treinamentos do São Paulo nesta semana para ensaiar algumas jogadas de bola parada que podem fazer a diferença na partida de quarta-feira contra o Atlético-MG. Na primeira parte das atividades no CT da Barra Funda, nesta segunda-feira, ele evitou as câmeras para ajeitar o posicionamento de alguns atletas e corrigir falhas. Para os jogadores, tudo isso faz parte da preparação cautelosa do time. "O treino fechado é importante para treinarmos algumas jogadas. É algo normal", explicou o volante Wellington.

Apesar do mistério, Ney Franco confirmou a equipe titular para enfrentar o Atlético-MG: Rogério Ceni, Paulo Miranda, Lúcio, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Denilson e Jadson; Douglas, Luis Fabiano e Osvaldo. Ganso fica no banco. Ele mostra que o lateral-direito Douglas venceu a concorrência com Aloísio, Cañete e Ganso pela posição que na temporada passada era de Lucas, vendido ao Paris Saint-Germain.

"Não fechei o treinamento para esconder o time ou algo assim. Optei por um trabalho reservado para poder acertar alguns detalhes com mais tranquilidade, poder trabalhar a parte tática e também os lances de bola parada", comentou o treinador, em entrevista ao site oficial do São Paulo.

Para o comandante tricolor, Douglas é quem mais se aproxima do futebol que Lucas mostrava no time. Ele entende que o jogador tem velocidade pelo lado direito do campo, costuma acertar os dribles e tem fôlego para recompor a marcação no meio de campo.

ZAGA

Na avaliação do zagueiro Lúcio, a entrada de Paulo Miranda na defesa também deixa o setor mais seguro. "Jogando com o Paulo Miranda, o time fica um pouco mais defensivo e para nós, zagueiros, isso ajuda bastante. Se eu fosse um meio-campista ou um atacante, talvez dissesse que preferia alguém maIs ofensivo atuando na lateral direita."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.