Werther Santana / Estadão
Werther Santana / Estadão

Neymar: 'A gente pode sonhar um pouco mais com essa seleção'

Jogador afirma que a equipe conseguiu resgatar a torcida brasileira

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2017 | 07h51

Neymar estava eufórico depois da vitória sobre o Paraguai por 3 a 0, nesta terça-feira, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, em São Paulo. Depois de nas partidas anteriores o principal jogador da seleção brasileira ter recusado as entrevistas, decidiu falar na saída do estádio e mandou vários recados. Mesmo em breves minutos, afirmou que a equipe pode ir mais longe e foi capaz de resgatar a torcida brasileira.

O atacante foi capitão da seleção brasileira pela primeira vez desde a Olimpíada e mostrou personalidade contra o Paraguai, ao depois de perder um pênalti, reagir em campo e marcar o dele, o segundo da vitória. Ao ser questionado sobre o desempenho da equipe, o jogador foi ousado. "A gente pode sonhar um pouco mais com essa seleção", afirmou.

O jogador concedeu entrevista pouco antes do fim da partida entre Peru e Uruguai, em Lima. O resultado de 2 a 1 para o time local confirmou a classificação brasileira para a Copa do Mundo com quatro rodadas de antecedência. O Brasil é o primeiro país do mundo a confirmar presença no Mundial do próximo ano e ostenta nas Eliminatórias oito vitórias seguidas.

Esse retrospecto, segundo Neymar, tem transformado a relação com a torcida. "Felicidade muito grande de resgatar o torcedor brasileiro, de saírem de casa e terem prazer em ver o jogo do Brasil. Antigamente tinha acabado um pouco disso. Lembro da época em que queria ver jogo do Brasil, com Ronaldo, Ronaldinho, Robinho, meus ídolos. Isso tem voltado aos poucos", comentou o camisa 10.

Neymar é o artilheiro do Brasil na competição, com seis gols, e negou ser o principal responsável pela boa campanha. "Não jogo sozinho. É uma equipe com muita vontade e estrutura. Todos estão de parabéns. Sempre confiei na nossa equipe, na qualidade dos jogadores que nós tínhamos. Se botarmos a bola no chão e jogar, iremos bem", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.