Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

Neymar absolve Gabriel Jesus por expulsão e Paquetá divide méritos com a equipe

Atletas analisam vitória por 1 a 0 sobre o Chile no Engenhão

Redação, Estadão Conteúdo

03 de julho de 2021 | 00h10

A expulsão de Gabriel Jesus que trouxe drama à classificação da seleção brasileira sobre o Chile foi absolvida pelos jogadores. Neymar, Richarlison e Lucas Paquetá, autor do gol que assegurou o triunfo no Engenhão e a vaga nas semifinais da Copa América, viram como uma fatalidade o lance em que o atacante ergueu demais o pé e acertou com força o rosto de Mena.

"Foi uma fatalidade do Jesus, ele só viu a bola, não viu o adversário", pontuou Neymar. O camisa 10 entende que a adversidade serviu para deixar mais forte a seleção. "A cada dia que passa, a gente vai tendo algumas provas para nos fortalecer, provar que podemos jogar em todas as circunstâncias".

"A gente conseguiu suportar uma adversidade, mas provamos que nas adversidades, conseguimos suportar", complementou o astro do Paris Saint-Germain. Ele teve boa atuação nesta sexta e participou de quase todas ações ofensivas do Brasil na partida.

Richarlison defendeu Gabriel Jesus ao afirmar que o companheiro não teve a intenção de atingir o rival daquela maneira. Ele citou a final da Copa América de 2019 contra o Peru, ocasião em que Jesus também foi expulso e a equipe teve trabalho para segurar o resultado e ficar com o título.

"Estamos acostumados a enfrentar esse tipo de jogo, infelizmente perdemos o Jesus num lance em que ele não quis fazer aquilo, mas acontece, já aconteceu isso na última Copa América e soubemos suportar. É um ajudando o outro e continuar nessa mesma pegada para conseguir esse título", opinou o atacante do Everton.

Já Lucas Paquetá dividiu com o grupo o mérito pelo gol que assegurou a vitória. "Acho que hoje foi a classificação de todos", disse. "Independentemente do gol, a entrega, a ajuda de todos fez valer a classificação".

Paquetá valorizou as chances que tem tido com Tite e foi enfático ao dizer que considera que não precisa provar por que está na seleção. "Não tenho que dar resposta a ninguém", bradou. "Momentos difíceis vão vir para todo jogador de futebol, mas tem que continuar trabalhando e se dedicando para reencontrar o momento feliz. Hoje eu fico feliz por ter feito uma grande temporada no meu clube Lyon e estou feliz de estar aqui na seleção podendo ajudar", acrescentou.

Nas semifinais, o Brasil vai encarar o Peru, que eliminou o Paraguai nos pênaltis. O jogo será segunda-feira, às 20 horas, novamente no Engenhão, cujo gramado tem sido alvo de críticas dos atletas e do técnico Tite.

"É no sacrifício, agora é pensar no próximo jogo, descansar bem porque vem mais uma pedreira pela frente", falou Richarlison.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.