Franck Fife/AFP
Franck Fife/AFP

Neymar admite erros na carreira e desabafa: 'recuperar a confiança custa caro'

Atacante do PSG e da seleção brasileira fala sobre seu momento e diz que vai em busca do prêmio de melhor jogador do mundo

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2019 | 15h23

Neymar quer acabar com a fase de ser notícias por diversos problemas extra-campo. Após ser suspeito de um estupro e tentar deixar o Paris Saint-Germain, o atacante brasileiro espera voltar a ser assunto pelos gols e grandes atuações. Em uma entrevista que foge do seu estilo, o jogador abriu o coração, admitiu ter cometido erros na carreira e contou que ainda sonha ser o melhor jogador do mundo, como Messi foi por seis vezes na carreira. 

"Errei várias vezes, e recuperar a confiança das pessoas custa caro", disse o atacante, em entrevista ao jornal inglês Mirror. "Acho que o ser humano falha, é normal, faz parte da vida. Crescemos e aprendemos com os erros. Eu quero ser o melhor jogador do mundo. Simples assim", completou o atleta, que marcou um golaço na vitória de sua equipe sobre o Lyon, na última rodada do Francês. Ele não teve nenhum voto na eleição dos melhores da Fifa nesta segunda-feira.

O jogador admitiu publicamente que gostaria de deixar o Paris Saint-Germain e isso arrumou a ele novas confusões. O clube francês chegou a negociar com o Barcelona, mas as conversas não evoluíram e ele foi obrigado a permanecer na Paris, onde parece não ser mais bem visto. Apesar disso, tem jogado bem em seu retorno ao time. Sem citar a negociação, o astro da seleção brasileira deixou claro sentir a pressão do momento que está vivendo na carreira. 

"Não sou uma pessoa que fala muito. Sou uma pessoa reservada, mas acabo ficando frustrado, com raiva, explodindo e não falo da forma certa. Estou tentando melhorar nisso", garantiu o atacante brasileiro. Ele acredita que os erros cometidos ao longo da vida o ajudarão a crescer como pessoa. "Às vezes é difícil, porque você tem de ser sempre perfeito. E é impossível, como ser humano, ser sempre perfeito. Eu fiz besteira diversas vezes e recuperar toda a confiança que tinha tem um preço alto. Mas é com esses erros que você cresce e aprende", comentou. 

Neymar ainda disse que seu pior momento na carreira foi o período de lesões. Ele sofreu com problemas físicos nas duas últimas Copas do Mundo, foi cortado da Copa América pelo mesmo motivo e também passou por dificuldades na temporada passada, pelo PSG, que não conseguiu sua classificação na fase derradeira da Liga dos Campeões. 

"O pior momento da carreira da atleta é quando ele se machuca. Tive duas sérias lesões em dois anos, e fiquei sem jogar futebol por praticamente seis meses. Senti falta de fazer gols. Futebol é minha paixão", lamentou.

Tudo o que sabemos sobre:
NeymarParis Saint-Germainfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.